política
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Após protesto, Dilma recebe representantes do MST no Palácio do Planalto Durante manifestação, pelo menos 30 policiais militares e três manifestantes ficaram feridos

Publicação: 13/02/2014 09:56 Atualização: 13/02/2014 10:10

A presidente Dilma Rousseff recebe representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), nesta manhã de quinta-feira (13/2), no Palácio do Planalto. A reunião ocorre após a manifestação dessa quarta-feira (12/2), que terminou com 30 militares e pelo menos três manifestantes feridos. Até mesmo a sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) teve de ser interrompida.

Leia mais notícias em Política

A manifestação ocorreu no dia seguinte à mudança de discurso da bancada do PT no Senado para adiar a análise da lei antiterrorismo — que abre brechas para o endurecimento das punições a manifestantes. Uma das intenções do partido, orientado pelo próprio governo, é evitar que movimentos sociais, como o MST, acabem sendo criminalizados.

Três horas e meia de protesto

14h — Manifestantes deixam o Ginásio Nilson Nelson pelo Eixo Monumental em direção à Praça dos Três Poderes

14h30 — O protesto ocupa quatro faixas da avenida e segue de maneira pacífica para a Rodoviária do Plano Piloto

15h30 — Manifestantes passam pela Embaixada dos Estados Unidos e gritam palavras de ordem. Ativistas tentam colocar lixo em frente ao local e a PM intervém. O conflito é resolvido em minutos, sem feridos.

16h10 — Na Praça dos Três Poderes, um grupo se aglomera em frente ao STF e derruba grades de proteção. Policiais revidam com spray de pimenta

16h30 — Ativistas derrubam grande em frente ao Palácio do Planalto e se confrontam com PMs

16h50 — Policiais são atingidos com cruzes de madeira jogadas por manifestantes

17h10 — O ministro Gilberto Carvalho recebe carta-manifesto em frente ao Palácio do Planalto e promete entregar o documento à presidente Dilma Rousseff

17h30 — Manifestantes se aglomeram no gramado do Congresso Nacional e começam a organizar a volta para o acampamento no Nilson Nelson

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: José Corrêa
É um verdadeiro absurdo. Tem que aprovar editar leis contra o vandalismo sim. Esqueça a estória de terrorismo e de ferir a democracia. Do jeito que está não pode ficar. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas