política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Henrique Alves vai pedir urgência para aposentadoria de pessoal de imagem O projeto de lei cria condições especiais para outros trabalhadores contratados por empresas de comunicação, que precisem se deslocar carregando equipamentos

Agência Brasil

Publicação: 18/02/2014 17:19 Atualização:

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) disse nesta terça-feira (18/2) que vai pedir aos líderes dos partidos a tramitação em regime de urgência do projeto que cria aposentadoria especial para fotógrafos e cinegrafistas.

"Eu acho que este é o momento de cuidar da questão. Vou distribuir aos líderes o texto do projeto e pedir para que analisem com suas bancadas. e se tudo der certo, na próxima terça-feira (18/2), pedir urgência e encaminhar para o plenário", disse Alves, que se reuniu, de manhã, com representantes da categoria.

Leia mais notícias em Política

O projeto de lei (PL 6781/10) em questão é de autoria do deputado Marco Maia (PT-RS) e cria condições especiais e de aposentadoria para fotógrafos, repórteres cinematográficos, cinematografistas, auxiliares e outros trabalhadores contratados por empresas de comunicação, que precisem se deslocar carregando equipamentos, ou mantendo-os sobre os ombros. Pela proposta, esses profissionais também teriam direito a aposentadoria após 30 anos de serviços prestados.

"Nós queremos, com esta iniciativa, alertar sobre a importância da categoria que, embora não apareça na tela da televisão e nas fotos dos jornais, é responsável pelas imagens e fotografias vistas no Brasil e no mundo", disse Maia, que acrescentou estar convicto de que os líderes partidários aceitarão o pedido de urgência.

"Tenho certeza que o presidente Renan Calheiros [senador do PMDB-AL, que preside o Congresso] também dará o regime de urgência no Senado, e nós votaremos imediatamente lá também", disse.
O texto estabelece ainda o pagamento de adicional no valor de 50% por hora ou fração superior a 15 minutos trabalhados e a uma folga semanal a cada 14 dias, desde que tenham realizado nesse período pelo menos um trabalho externo.

"O que nós estamos pedindo a esta Casa é que se devolva à categoria de trabalhadores o que lhes é de direito. Pena que só após este momento de tristeza a proposta tenha avançado", ponderou o coordenador do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal (SJDF), Wanderlei Pozzebon, referindo-se à morte do ex-cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, que morreu após ser atingido na cabeça por um rojão, quando registrava uma manifestação no último dia 6, no Rio de Janeiro.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas