política
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pessimistas vão "quebrar a cara", diz ministro sobre situação energética Tenho certeza de que, de novo, aqueles que previram o caos vão quebrar a cara. Parece que não aprendem", disse ministro

Agência Brasil

Publicação: 14/03/2014 11:46 Atualização:

Na quarta-feira (12), o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) mudou de 'baixíssima' para 'baixa' a probabilidade de faltar energia no país por falta de chuva (Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press)
Na quarta-feira (12), o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) mudou de "baixíssima" para "baixa" a probabilidade de faltar energia no país por falta de chuva

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho disse nesta sexta-feira (13/3) que o governo está preparado para garantir o suprimento de energia do país, apesar das condições climáticas desfavoráveis até agora. Segundo ele, os pessimistas "vão quebrar a cara mais uma vez", pois não haverá desabastecimento.

"Tivemos neste ano de recorrer mais às térmicas, mas o sistema continua funcionando e vai continuar funcionando porque é um governo responsável. Tenho certeza de que, de novo, aqueles que previram o caos vão quebrar a cara. Parece que não aprendem", disse, em entrevista antes de participar da cerimônia de lançamento de edital para um programa de agroecologia no Palácio do Planalto.

Na quarta-feira (12), o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) mudou de "baixíssima" para "baixa" a probabilidade de faltar energia no país por falta de chuva. Nos primeiros dez dias de março, choveu 61% da média histórica nas bacias hidrográficas das regiões Sudeste e Centro-Oeste, onde fica a maior parte dos reservatórios do país.

Leia mais notíias em Política

No Nordeste, o percentual ficou em 25% da média histórica no mesmo período. Segundo Carvalho, os baixos níveis registrados nos reservatórios das hidrelétricas são comuns nessa época e, em anos anteriores, também foram superados. "Pegue os jornais do ano passado, retrasado, do outro ano, é sempre assim. Há problemas nos reservatórios e já se começa a fazer terrorismo", disse.

"As condições climáticas assustaram mais, mas com as medidas que estão sendo tomadas, tenho convicção de que vai acontecer exatamente o que tem ocorrido em outros anos. A realidade combate o terrorismo", avaliou. Ontem (13), o governo anunciou um pacote de R$12 bilhões para socorrer as empresas de distribuição de energia elétrica e evitar que os impactos da forte estiagem chegue ao consumidor ainda este ano.

Perguntado se a intenção de adiar o reajuste na conta de luz para o ano que vem é eleitoreira, Carvalho disse que o governo fez os cálculos pensando no bolso dos contribuintes. "Você tem de fazer os cálculos econômicos e ver quando eles precisam ser dados. É evidente que você tem de cuidar do bolso do contribuinte. Esse é o nosso objetivo o tempo todo: reduzir os custos do bolso do consumidor, não antecipar custos que vão onerar a vida do trabalhador", justificou.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Ericco Bazzo
E realistas? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas