política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Comissão mista estende o RDC a todos os contratos do Executivo O RDC foi criado para reger os contratos do governo referentes às obras da Copa do Mundo e das Olimpíadas

Agência Brasil

Publicação: 25/03/2014 18:01 Atualização:

comissão especial mista do Congresso Nacional que analisou a Medida Provisória 630/2013 aprovou hoje (25) o parecer da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que faz algumas mudanças em relação ao texto original do Poder Executivo. A MP 630 originalmente permitia a aplicação do Regime Diferenciado de Contratações (RDC) em obras para reforma e construção de presídios, mas o relatório aprovado ampliou essa possibilidade para todas as licitações e contratos da União, estados, Distrito Federal e municípios.

O RDC foi criado para reger os contratos do governo referentes às obras da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Ele simplifica as contratações do Poder Público, retirando algumas exigências da Lei 8.666, conhecida como Lei das Licitações. O RDC já tinha sido estendido para as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Programa Nacional de Dragagem Portuária e Hidroviária, entre outros programas do governo federal.

Leia mais notícias em Política

O relatório da senadora Gleisi Hoffmann permite, agora, que todas as obras contratadas pela União, estados, Distrito Federal e municípios sejam regidas pelo RDC. Os contratos de engenharia deverão ter um seguro-garantia, que poderá ser de 10% do valor do contrato, em obras de menor valor e risco, e de até 30% em obras acima de R$ 100 milhões.

As empresas seguradoras irão assumir os direitos e obrigações da empresa contratada, caso sejam acionadas por descumprimento de prazos ou dos custos previstos inicialmente. Nesse caso, as seguradoras poderão receber o orçamento público empenhado para o projeto e terceirizar a execução da obra, caso haja acordo com o órgão contratante.

O substitutivo da senadora Gleisi Hoffmann segue agora para o plenário da Câmara dos Deputados, e já chega trancando a pauta de votações. Depois de votado pelos deputados, o texto seguirá para o Senado, antes de ser enviado para sanção da presidenta Dilma Rousseff.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas