política
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Renan Calheiros diz que não acredita em criação de CPI da Petrobras "Fazer a CPI agora seria erguer um palanque eletrônico em pleno período eleitoral em cima da Petrobras, isso não é bom para o Brasil", disse Calheiros.

Agência Brasil

Publicação: 26/03/2014 15:21 Atualização:

'Os fatos estão sendo todos investigados. Nós precisamos cobrar o andamento da investigação', disse Renan (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
"Os fatos estão sendo todos investigados. Nós precisamos cobrar o andamento da investigação", disse Renan

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta quarta-feira (26/3) que a tentativa de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso Nacional para investigar a compra pela Petrobras da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), não deve avançar.

"Os fatos estão sendo todos investigados. Nós precisamos cobrar o andamento da investigação. Fazer a CPI agora seria erguer um palanque eletrônico em pleno período eleitoral em cima da Petrobras, isso não é bom para o Brasil", disse Calheiros.

No Senado, a coleta foi intensificada em uma reunião, ontem à tarde, entre o PSDB e o DEM, com o apoio de parlamentares de partidos aliados ao governo, mas que se consideram independentes, como Cristovam Buarque (PDT-DF), Pedro Simon (PMDB-RS) e Pedro Taques (PDT-MT). Para instalar a comissão mista, são necessárias 171 assinaturas na Câmara e 27 no Senado.

Leia mais notícias em Política

“Quando um tema tão nebuloso aparece sem explicação e quando a própria presidenta diz que a história que o governo negava que existia é verdadeira, todos os canais de investigação tem que existir”, disse o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), um dos signatários do pedido de abertura de CPI.

O senador Pedro Taques (PDT-MT) também reagiu à declaração do presidente do Senado. Segundo ele, apesar das investigações que estão sendo feitas pela Polícia Federal, Tribunal de Contas da União e Ministério Público Federal, as esferas de Poder são independentes. “O Parlamento não pode abrir mão de sua função de fiscalizar”, disse.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Jaime Fiuza
Ok? o cara paga amante com dinheiro público e ainda é presidente do senado? (minúsculo de propósito)... | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas