política
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Campanha #vaitrabalhardeputado chega à classe artística A declaração de Ney Matogrosso resume a indignação de artistas com os gastos do Legislativo. Revolta é ainda maior quando se analisa a baixa produtividade dos parlamentares

Gabriel de Sá

Irlam Rocha Lima

Publicação: 06/04/2014 07:00 Atualização:

Plenário da Câmara em plena sexta-feira: dia útil para a maioria dos trabalhadores brasileiros, mas não para os deputados federais (Bruno Peres/CB/D.A Press)
Plenário da Câmara em plena sexta-feira: dia útil para a maioria dos trabalhadores brasileiros, mas não para os deputados federais

A campanha #vaitrabalhardeputado chegou à classe artística. Cantores e compositores ouvidos pelo Correio manifestaram a indignação diante do quadro de baixa produtividade da classe parlamentar. “O sistemático bloqueio da pauta de votação no Congresso, com os deputados se retirando para não haver quórum, é inadmissível. Eles são pagos para trabalhar e, como qualquer trabalhador, têm que ficar no local de trabalho. Se não estão lá, (o salário) tem que ser descontado”, opina Carlos Lyra, expoente da bossa nova.

Leia mais notícias em Política


Além da baixa produtividade, Lyra chama a atenção para a quantidade exagerada de parlamentares. “Há uma discrepância enorme entre o número de unidades federativas e o número de deputados. Os Estados Unidos, com 300 milhões de habitantes e 50 estados, têm menos deputados do que o Brasil. Lá, eles ganham menos e contam com verbas menores de gabinete. E isso se repete pelos países da Europa”, observa.

Para o cantor e compositor Oswaldo Montenegro, é dever da sociedade cobrar dos representantes no Congresso uma atuação mais efetiva e digna. “Pagamos impostos extorsivos, e parte desse dinheiro é que mantém os deputados. Eles precisam ter consciência da função que exercem e das obrigações que decorrem disso”, disse. “Vai trabalhar, deputado!”, cobrou.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Paulo Costa
Os artistas "esquerdopatas" e "socialistas" dos calçadões de Ipanema, do Leblon, das doses dos whiskies acima de 12 anos... agora têm consciência das víboras que ajudaram a criar e q hoje espoliam nosso País? Afinal, a maioria dos Congressistas não são seus "cumpanheiros" de luta pela "democracia"? | Denuncie |

Autor: Paulo Costa
E a maioria da corja q ocupa as cadeiras de nosso Congresso são os "esquerdopatas" q a própria classe artística defendeu c/ "unhas e dentes" quando mentiam dizendo q lutavam contra a ditadura, mas que na verdade queriam que nosso Brasil se transformasse em uma Cuba Continental! Tomem agora o veneno! | Denuncie |

Autor: Jose Marco
Pensando bem, talvez seja mais produtivo para a sociedade que eles não trabalhem, basta devolverem as verbas de gabinete e parte do salário. Tenho certeza que o prejuízo será menor do que se eles trabalharem normalmente. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas