política
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Decisão de André Vargas de não renunciar ao mandato irrita petistas Atitude levanta várias dúvidas sobre os próximos passos do deputado. Integrantes do partido avaliam que a estratégia política está equivocada

Paulo de Tarso Lyra - Correio Braziliense

Andre Shalders - Correio Braziliense

Publicação: 17/04/2014 06:08 Atualização:



Vargas só formalizou ontem a renúncia ao cargo de vice-presidente da Câmara (Carlos Moura/CB/D.A Press - 2/4/14)
Vargas só formalizou ontem a renúncia ao cargo de vice-presidente da Câmara
Ex-secretário de comunicação do PT e ex-vice-presidente da Câmara — formalizou ontem, com um atraso de uma semana em relação ao anúncio, a renúncia ao cargo na Mesa Diretora —, André Vargas (PR) tornou-se um fantasma desgovernado que assombra o próprio partido e as campanhas eleitorais de outubro, tanto a federal quanto as estaduais. Desde que foi flagrado pela Polícia Federal em conversas suspeitas com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Operação Lava-Jato, Vargas assumiu uma postura bipolar, que vai da depressão à disposição ao enfrentamento, deixando seus companheiros de legenda sem saber como agir.

Leia mais notícias em Política

 No início da noite de ontem, ele assegurou ao líder do PT na Câmara, Vicentinho (SP), que não renunciará ao mandato. Frustrou, com isso, as expectativas expressas pelo próprio Vicentinho, horas antes. “A nossa expectativa é de que ele renuncie ao mandato, até para não ficar sangrando permanentemente. A renúncia ao mandato será melhor para ele. Não é declaração de culpa, mas é um sangramento desagradável para ele. Não queria estar no lugar dele”, resumiu o líder da bancada petista.

Segundo interlocutores do partido, Vargas perdeu-se em uma estratégia política errada, foi atropelado pelos fatos e passou a avaliar de forma equivocada as consequências. Uniu-se a um grupo restrito de deputados — os mesmos que o ajudaram a eleger-se para a vice-presidência da Câmara — e fechou os ouvidos às instâncias decisórias do partido. “Vargas não ouve mais o Lula, o Rui (Falcão, presidente do PT) nem o Vicentinho (líder da bancada da qual faz parte). Isolou-se de vez”, resumiu um parlamentar petista. Falcão, inclusive, defende a renúncia do parlamentar.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: henrique gomes
É isso ai deputado, não renuncie mesmo não. Pague prá ver e verá daqui uns dias que vc. voltará a receber tapinas nas costas. | Denuncie |

Autor: Moacir Lana
Renuciar pra que se as leis os ampara? | Denuncie |

Autor: raimundo perna
Tá todo mundo se borrando de medo.Agora falam q a renúncia ñ é uma declaração de culpa...então é o que? A renúncia é para ele ñ abrir o bico.Ficando ,apavora os iguais,q são a grande maioria. Os laranjas já deveriam saber q no final são eles q se ferram,logo deveriam denunciar e parar de ser besta. | Denuncie |

Autor: Divson Assis
Pra quê renunciar? Se ele tem todo perfil para continuar! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas