política
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pela terceira vez, Petrobras vira tema de discussão em disputa presidencial Nas últimas três disputas presidenciais, a empresa esteve presente na discussão entre os postulantes ao Planalto. Em 2014, não será diferente, com um componente a mais: uma CPI, cuja abrangência será definida na semana que vem

Paulo de Tarso Lyra - Correio Braziliense

Publicação: 18/04/2014 06:00 Atualização:

Os embates verbais travados na última segunda-feira entre os três principais postulantes ao Planalto em 2014 envolvendo a Petrobras comprovaram que a principal estatal brasileira, independentemente ou não de a CPI ser instalada no Congresso, estará no centro do debate eleitoral de outubro. No Recife, Dilma Rousseff afirmou que “não deixará a oposição destruir a Petrobras”; em Brasília, Eduardo Campos rebateu que a “Petrobras não vai se transformar em caso de polícia”; e em Salvador, Aécio Neves declarou que “a presidente terá de devolver limpo o macacão da Petrobras”.

A Petrobras como centro do debate eleitoral, contudo, não é novidade. Isso ocorre desde 2002, quando Luiz Inácio Lula da Silva derrotou José Serra na corrida presidencial. A eleição marcou o fim dos oito anos de mandato de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e o candidato petista afirmou que, se eleito, toda a produção envolvendo a principal estatal brasileira seria nacionalizada: plataformas, estaleiros e outras compras governamentais.

Leia mais notícias de Política

Era uma resposta às suspeitas de superfaturamento na compra de plataformas no exterior e à estratégia, adotada pelo PSDB durante a gestão de FHC, de ampliar a participação externa da Petrobras, inclusive com a mudança do nome da empresa para Petrobrax. Naquele ano eleitoral, o volume de investimentos da Petrobras era de R$ 18,8 bilhões.

Quatro anos depois, na campanha de Luiz Inácio Lula da Silva pela reeleição, o valor de investimento da empresa quase dobrou, saltando pra R$ 33,6 bilhões. Mas a Petrobras, novamente, apareceu na campanha. Lula e o PT afirmaram que, se os tucanos voltassem ao poder, privatizariam a Petrobras e outras empresas públicas, a exemplo do que fizeram com a Vale do Rio Doce e as companhias telefônicas, no biênio 1997/1998.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: João João Antônio
Imaginem esta gente acostumada ao poder em regime de fome por tanto tempo voltando a governar o País. Porque não procuraram emprego neste período? | Denuncie |

Autor: raimundo ribeiro
O Brasil precisa de uma lei para punir ou banir os políticos que confundem a cabeça do eleitor fazendo oposição apenas para atrapalhar o pais gerando gastos astronômicos que superam o prejuízo reclamado em vez de apresentar a solução para o problema que é o que a sociedade espera, se forem capazes. | Denuncie |

Autor: raimundo perna
tem cargo comissionado com medo.Deixa investigar.Quem não deve...Ser patriota é ser conivente?Ser patriota é receber um por fora para ficar calado?Ser patriota é ver o Brasil ser dilapidado por uma quadrilha que esqueceu suas promessas?Ser patriota é ser passivo?Sendo assim ,não sou patriota. | Denuncie |

Autor: antonio seabra
Como sempre a oposição sem discurso e sem proposta nenhuma para melhorar o brasil, quer CPI específica da petrobrás. Isso é pura demagogia principalmente em ano eleitoral. Nao pensam nos gastos dessa CPI querem afundar mesmo o País. Sao anti patriotas. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas