política
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Dilma fica fora de lista de personalidades mais influentes, da revista Time Lista das 100 personalidades mais influentes não traz nenhum brasileiro na edição deste ano

Grasielle Castro - Correio Braziliense

Publicação: 25/04/2014 08:33 Atualização:

Dilma Rousseff e Graça Foster: incluídas na lista da Time de 2012, que também tinha o empresário Eike Batista  (Roberto Stuckert Filho/PR)
Dilma Rousseff e Graça Foster: incluídas na lista da Time de 2012, que também tinha o empresário Eike Batista

Enquanto os presidentes de três nações da América do Sul foram selecionados para o seleto grupo dos 100 mais influentes do planeta, a presidente Dilma Rousseff — que já esteve no rol por dois anos consecutivos, 2011 e 2012 — não foi citada. Justo no ano da Copa do Mundo do Brasil, o top 100 da revista Time, que já foi usada como troféu pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no seu último ano de governo, traz agora os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro; do Chile, Michelle Bachelet; e do Uruguai, José Mujica. Outro sul-americano citado é o papa Francisco. No ano passado, as estrelas brasileiras que figuraram entre os mais influentes do mundo foram o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, e o chef Alex Atala.

Elaborada desde 2009, a lista traz personalidades de diversas áreas com impacto global. No ano passado, por exemplo, o ministro Joaquim Barbosa foi selecionado por comandar o julgamento do escândalo do mensalão. O ministro foi descrito pela professora de direito da Universidade de Columbia Sarah Cleveland como a autoridade que simbolizava a promessa de um novo Brasil, comprometido com o multiculturalismo e com a igualdade. Neste ano, a lista foi ilustrada pela cantora Beyoncé, apontada como a artista que “aniquilou as regras da indústria da música”.

Leia mais notícias em Política

Na avaliação do sociólogo Rudá Ricci, o cenário político e econômico brasileiro atual afasta o destaque de uma liderança. “Não tem nenhuma personalidade que esteja conseguindo superar os desafios do país”, resume. Segundo ele, a imagem do Brasil em análises externas costuma estar vinculada à economia, que não anda bem. “O Brasil está muito mal em investimentos. Perdemos postos entre os principais parceiros econômicos, como China e Argentina, e estamos passando por uma situação difícil com a energia. É evidente que o Brasil está perdendo espaço. A liderança política e econômica que o país tinha, com Lula e Dilma, está sendo corroída. Não tem liderança na área empresarial com muito destaque nem política capaz de contornar a crise", analisa.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Paulo Costa
Influenciou, ainda: a falta de autoridade por inação (vide "terrorismo" urbano - ônibus incendiados, vândalos e depredadores nas ruas...); o crescimento da insegurança; o estímulo à regressão do desenvolvimento humano por meio do "assistencialismo" das bolsas; a "tutela" da Justiça Federal... | Denuncie |

Autor: Paulo Costa
Discordo, afinal ela e seu Partido das Trevas influenciaram: a corrupção desenfreada; o "aparelhamento" do Estado com seus "cumpanheiros" incompetentes; conduziram a Petrobras a bancarrota por meios de falcatruas; o enriquecimento ilícito de PeTralhas e aliados; o "apagão" por falta de planejamento.. | Denuncie |

Autor: José Ferreira Ferreira
Não é preciso a revista Timer nos informar que no Brasil não tem nenhum político/autoridade em destaque. Pelos últimos acontecimentos/falta de pulso/ingerência, qualquer orelha seca brasileiro já sabe que nehum deles merecem estar entre as 100 personalidades influentes. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas