política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Comissão de Ética da Presidência pede esclarecimentos a Cerveró O ex-diretor da Área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, é acusado de omitir cláusulas importantes do documento que embasou a compra da refinaria

Agência Brasil

Publicação: 29/04/2014 19:55 Atualização:

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu nesta terça-feira (29/4) solicitar informações ao ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró sobre a compra da Refinaria de Pasadena (EUA) pela estatal. O colegiado deliberou que o ex-diretor tem dez dias para se manifestar sobre a “sonegação de dados relevantes” ao Conselho de Administração da empresa.

Cerveró é acusado de omitir cláusulas importantes do documento que embasou a compra da refinaria. De acordo com decisão dos conselheiros da comissão, o ex-diretor pode apresentar provas documentais, que serão levadas em conta na avaliação da denúncia e em uma possível aplicação de penalidades. Como Nestor Cerveró já deixou a diretoria, a Comissão de Ética pode aplicar-lhe apenas censura ética.

Em depoimento na Câmara há duas semanas, o ex-diretor, que deixou em março o Conselho de Administração da BR Distribuidora, disse que não tinha intenção de enganar ninguém com a omissão das cláusulas.

Reportagem publicada em março pelo jornal O Estado de S. Paulo revelou que a compra da refinaria teve o aval da presidenta Dilma Rousseff, que na época era ministra-chefe da Casa Civil e presidenta do Conselho de Administração da Petrobras. Em resposta, o Planalto divulgou nota explicando que, no documento elaborado por Cerveró sobre o negócio, foram omitidas as cláusulas Marlim e de Put Option que integravam o contrato.

Leia mais notícias em Política

O colegiado decidiu também pedir esclarecimentos a autoridades do alto escalão do governo sobre o recebimento de convites da Petrobras para o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. Os conselheiros também deram dez dias para que se manifestem os ministros da Fazenda, Guido Mantega; do Planejamento, Miriam Belchior; e da Secretaria de Direitos Humanos, Ideli Salvatti. O caso veio à tona em março, também pelo jornal O Estado de S. Paulo, que informou que uma lista de convidados VIP da Petrobras foi entregue a parentes dos ministros.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas