política
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Autoridades da Câmara vão investigar pagamento de aplausos no plenário Com atraso de 72 horas, caciques da Câmara afirmam que vão abrir investigação para apurar claque paga na Casa

Andre Shalders - Correio Braziliense

Publicação: 04/05/2014 10:20 Atualização: 04/05/2014 10:26

Átila Lins: 'Se eu não puder fazer sozinho, posso nomear outros parlamentares que queiram participar' (Saulo Cruz/Câmara dos Deputados)
Átila Lins: "Se eu não puder fazer sozinho, posso nomear outros parlamentares que queiram participar"


Três dias após o Correio flagrar a distribuição de dinheiro nas dependências da Câmara à claque que aplaudia no plenário as mudanças na chamada lei do descanso, que amplia a jornada de trabalho dos caminhoneiros para até 12 horas diárias, autoridades da Casa se manifestaram à favor da apuração dos fatos. O deputado Átila Lins (PSD-AM), corregedor parlamentar da Câmara, prometeu abrir investigação para apurar o ocorrido na noite da última terça-feira. “Chegando à Corregedoria, pode estar certo de que vamos abrir sindicância e dar seguimento à apuração dos fatos. Se eu não puder fazer sozinho, posso nomear outros parlamentares que queiram participar das investigações. Mas pode ter certeza de que vamos dar seguimento”, declarou o corregedor parlamentar.



O presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse não saber ainda se a Mesa Diretora já recebeu alguma representação sobre o assunto, mas que encaminhará à Corregedoria quaisquer pedidos de investigação. “Certamente remeterei a ele (Átila)”, declarou o presidente. Alves disse ter tomado conhecimento das reportagens, e que não havia se pronunciado sobre o assunto por estar envolvido em atividades políticas no estado potiguar. “Estou aqui no Rio Grande do Norte, em Mossoró, com eleição suplementar agitadíssima amanhã (hoje). Mas soube da matéria, cujos fatos e relatos examinarei segunda, chegando a Brasília”, disse ele por mensagem de texto.

Leia mais notícias em Política

Átila Lins lembrou que a Corregedoria só pode abrir investigação sobre algum fato se for provocada. Pelo regimento, representações à Corregedoria têm de ser encaminhadas pela Presidência da Câmara. “É importante destacar que, pelo regimento, qualquer um — cidadão, parlamentar, movimento, entidade — é parte legítima para solicitar a apuração desse tipo de coisa à Mesa Diretora”, disse Átila. Na avaliação do parlamentar amazonense, o pagamento à claque atenta contra a instituição. “É um comportamento que atinge a imagem do parlamento, o de usar de meios pecuninários para fazer pressão dentro do plenário. É preciso que se apure, até para resguardar a dignidade e a representatividade do Legislativo”, disse ele.


A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Júlio Albuquerque
Ha,ha,haaa. Faz-me rir. O Congresso vai investigar o quê? Aquele lugar, que possui mais ladrão por metro quadrado que a Papuda, é o reduto da vergonha, da impunidade, da fata de compromisso público. Ali poucos se salvam. Coisa pior já aconteceu e simplesmente acobertaram seus comparsas, imagine agora | Denuncie |

Autor: GILMAR PEREIRA
e o mensalinho dos pés raspados ! | Denuncie |

Autor: José A. S. Neto
Essa história de mensalão NÃO CESSA NEM A PAU, principalmente pelos seus AUTORES INTELECTUAIS DA GÊNESIS (PSDB, DEM, PPS o todo poderoso P.I.G. que pode falar o que quiser sem ter a mínima responsabilidade pelo que fala). | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas