política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Investigados da Lava Jato continuam presos até ministro analisar processos Teori Zavasck decidiu que os processos sejam suspensos e remetidos ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela presença de parlamentares citados nas ações

Agência Brasil

Publicação: 20/05/2014 16:07 Atualização:

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), informou nesta terça-feira (20/5) que vai decidir sobre a libertação dos investigados na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, após receber os processos que estão na 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba.

Em ofício enviado ao juiz Sergio Fernando Moro, o ministro reviu decisão dele e determinou que os investigados continuem presos até que ele analise todo o material da investigação. Zavascki também decidiu que os processos sejam suspensos e remetidos ao Supremo pela presença de parlamentares citados nas ações, como o deputado federal André Vargas (sem partido-PR) e Luiz Argôlo (SDD-BA).

Com a decisão do ministro, vão continuar presos dez acusados que respondem a quatro ações penais, entre eles o doleiro Alberto Youssef. Zavascki também disse vai aguardar parecer do Ministério Público Federal (MPF). “Eu não tenho condição de dizer quem vai ficar preso e quem é que não ficará preso, enquanto eu não receber todo o material. Sem conhecer não quero tomar decisões precipitadas”, disse o ministro.

Somente o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, suspeito de participar do mesmo esquema - e que foi solto na segunda-feira (19/5), está autorizado a permanecer em liberdade. A decisão do ministro foi comunicada à Justiça Federal no Paraná em despacho expedido como resposta à advertência do juiz federal Sérgio Moro da possibilidade de fuga para o exterior dos presos, caso fossem soltos.

Leia mais notícias em Mundo

Segunda-feira (19/5), além de determinar a soltura dos 12 presos na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, e que eles entregassem os passaportes em 24 horas ao STF, Zavascki suspendeu oito ações penais abertas pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, para investigar as denúncias apuradas na operação.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas