política
  • (5) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Legado da Copa na mobilidade urbana só beneficiará cidades sede Levantamento feito para o Correio mostra que as 15 capitais que não terão jogos ficaram escanteadas na mobilidade urbana. Entre 2011 e 2014, as escolhidas tiveram orçamento de R$ 2,2 bilhões. As não sedes, de R$ 751,8 milhões

Paulo de Tarso Lyra - Correio Braziliense

Publicação: 26/05/2014 06:12 Atualização: 26/05/2014 09:26

Um dos argumentos para justificar a Copa do Mundo no Brasil, o legado da mobilidade urbana gerou uma divisão entre as 12 capitais que sediarão os jogos e as 15 demais que assistirão o torneio pela televisão. As cidades que recepcionarão jogadores e turistas tiveram verbas específicas para o Mundial, prioridade quando os recursos eram distribuídos também a outros centros e uma fiscalização mais rigorosa para que as obras pudessem ser entregues a tempo.

Apenas dentro da rubrica Copa do Mundo, o governo disponibilizou R$ 12,85 bilhões, divididos em PAC Copa, PAC Legado da Copa e Entorno das Arenas. Todas são obras apresentadas pelo governo federal à Fifa, entidade máxima do futebol responsável por organizar o evento. Nos projetos, estão melhorias urbanas e viárias para ajudar o trajeto dos torcedores pelas cidades, do aeroporto até o estádio, além do conforto ao redor das arenas construídas para sediar as partidas.

Leia mais notícias em Política

Além dessa verba com carimbo específico, as capitais escolhidas como sede do Mundial de 2014 também acabaram entrando à frente na fila de prioridades quando foram analisados os recursos gerais do PAC Mobilidade Urbana. Lançado ainda no primeiro ano de mandato da presidente Dilma Rousseff, o programa reservou R$ 32,49 bilhões para investimentos em cidades com população acima dos 700 mil habitantes.

Para melhor organizar os trabalhos, elas foram divididas em três grupos. No primeiro, estão nada mais nada menos do que nove das 12 cidades sedes: Salvador, Fortaleza, Brasília, Belo Horizonte, Recife, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. No segundo grupo, aparece Manaus, ao lado de outras cinco cidades, sendo três capitais (Goiânia, São Luís e Belém). E no terceiro, surge Natal, no mesmo bloco com outros seis municípios.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (5) comentários

Autor: Clayton Borges
Orçamento sigiloso do RDC?, custos mal dimensionados?, Ver que tem dinheiro p/copa e olimpíadas e assistir a mortes por falta de hospitais, médicos, medicamentos, nítido desinteresse no quesito educação, a medíocre gestão do dinheiro público? ESSES LEGADOS??? | Denuncie |

Autor: cleber souza
Legado da Copa? Que legado???? | Denuncie |

Autor: Cidadão Kane
Isso já não era meio óbvio?! | Denuncie |

Autor: Diniz DINIZ
Legado? Alguém acha que caminhônibus (BRT) em Brasília é legado? Isso aí é a mudernidade do Agnelo! Isso é legado de gastança, ineficiência e coisa ultrapassada. Zero para este circo. Às ruas, às ruas... | Denuncie |

Autor: Mário
Cidade sede???? qual?? em Brasília mesmo, o único legado foi para o bolso, cueca e etc dos deputados!!!!! sabe de nada inocente!!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas