política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Dilma Rousseff se aproxima do Pros no Ceará e complica aliança com PMDB Presidente se reuniu com o governador do Ceará, Cid Gomes, e o do Amazonas, José Melo, ambos do Pros, legenda que vem ensaiando discurso de oposição em alguns estados.

Amanda Almeida

Daniela Garcia - Correio Braziliense

Paulo de Tarso Lyra - Correio Braziliense

Publicação: 17/06/2014 06:40 Atualização: 17/06/2014 08:05

A cinco dias da convenção que vai homologar a pré-candidatura à reeleição, a presidente Dilma Rousseff dedicou parte da segunda-feira à costura do apoio de legendas aliadas e à tentativa de destravar problemas nos palanques regionais. Ela se reuniu com o governador do Ceará, Cid Gomes, e o do Amazonas, José Melo, ambos do Pros, legenda criada para apoiá-la, mas que vem ensaiando discurso de oposição em alguns estados. Além do Pros, Dilma tem problemas com o PP, o PR e o PDT nas unidades da Federação, além do PMDB, que manifesta insatisfação com aproximação da presidente com o Pros no Ceará.

Eduardo Campos classificou aliados da petista Dilma Rousseff de 'velhas raposas' da política nacional (Alexandre Severo/PSB)
Eduardo Campos classificou aliados da petista Dilma Rousseff de "velhas raposas" da política nacional

O PMDB, aliás, ratificou a manutenção do vice-presidente Michel Temer na chapa que disputará a reeleição por uma margem apertada, externado as desavenças na sigla. Parte dos votos dissidentes foi dado justamente pela ala cearense, comandada pelo senador Eunício Oliveira, pré-candidato ao governo local. O peemedebista está rompido com Cid e ainda aposta em uma reconciliação, com auxílio de Dilma e do PT cearense. No estado, contudo, o Pros planeja lançar candidatura própria e apoiar o petista José Guimarães ao Senado. Se isso acontecer, Eunício ameaça coligar-se com o PSDB.

A reunião com a presidente durou duas horas e meia e foi acompanhada pelo presidente nacional do Pros, Eurípedes Júnior (leia mais na coluna Brasília-DF). A cúpula do partido reclama que não está contemplada no primeiro escalão do governo federal, pois o ministro da Integração Nacional não seria uma indicação da legenda, e sim dos irmãos Gomes. Eurípedes negou que a reunião tivesse o objetivo de pedir mais uma pasta. “Deixamos claro que o Pros não quer trocar apoio por ministério.”

Leia mais notícias de Política


Adversário da presidente na disputa pelo Palácio do Planalto, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) repetiu os ataques à gestão petista no governo federal, especialmente no campo das alianças. “Não é só tirar as pessoas do governo, é mudar o jeito de governar. É colocar na oposição aqueles que cercam todos os governos que vão a Brasília”, disse Campos, em visita ao Hospital do Câncer, em Londrina (PR), referindo-se ao PMDB.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

 

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas