política
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ministério Público cobra a exoneração de parente de Rosemary Noronha A ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo pediu a nomeação do primo com "urgência" para um cargo comissionado

Grasielle Castro - Correio Braziliense

Publicação: 25/06/2014 08:11 Atualização:

Rosemary integrava grupo que fraudava pareceres técnicos em agências (Jorge Araujo/Folhapress)
Rosemary integrava grupo que fraudava pareceres técnicos em agências
O Ministério Público Federal em São Paulo (MPF) pediu a exoneração imediata do funcionário do Ministério dos Transportes Marcelo de Lara Peixoto, primo da ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo Rosemary Noronha, envolvida na Operação Porto Seguro. Investigações revelam, em uma série de e-mails interceptados pela Polícia Federal, que Rose, como é conhecida, pediu a nomeação do primo com “urgência” para um cargo comissionado na pasta. Em nota, o ministério disse que tomou as providências para atender a recomendação do MPF e informou ainda que, apesar de ser datado do dia 3, o documento que estabelece prazo de 30 dias para exoneração deu entrada na pasta em 10 de junho.

Segundo o MPF, em e-mail de 16 de dezembro de 2009, Rosemary exige a nomeação imediata do parente, antes do Natal daquele ano. Sete dias depois, Marcelo Peixoto ganhou um cargo comissionado na extinta Rede Ferroviária Federal em São Paulo (RFF). No entendimento do MPF, o ato de nomeação viola os princípios constitucionais da legalidade, da impessoalidade e da moralidade, já que resultou diretamente da troca de favores entre Rosemary e Paulo Vieira, ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA). De acordo com o Portal da Transparência, Marcelo exerce cargo de coordenador DAS 3, com remuneração de R$ 4.462,46.

Leia mais notícias em Política

Para a procuradora da República Thaméa Danelon, autora do pedido de exoneração, por atender a interesses pessoais, a nomeação se torna ilegal. “O próprio Supremo Tribunal Federal já consagrou o entendimento de que a prática do nepotismo viola a Constituição Federal”, explica, no documento. Ela acrescenta ainda que o decreto sobre nepotismo na administração pública prevê a exoneração do agente público nesse tipo de situação, sob pena de responsabilidade. Marcelo Peixoto foi nomeado pelo então ministro Alfredo Nascimento, e a recomendação foi enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao atual ministro dos Transportes, César Borges. No documento, Janot pede que sejam encaminhados ao MPF documentos que comprovem a exoneração do parente de Rosemary.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: henrique gomes
Porque ela não pediu ao Lula p/ arrumar uma assessoria qualquer, afinal de contas... | Denuncie |

Autor: ednilson souza
E nós, que pagamos tanto IMPOSTO neste país, pagando as contas desses corruptos, dos parentes, dos namorados das filhas, etc. | Denuncie |

Autor: Paulo Ajuz
Pergunta que não quer se calar, porque a "primeira amante" pega em Portugal com mala diplomática com "36 MILHÕES DE EUROS", que no episódio foi obrigada a segurar o montante, declarou como beneficiário do seguro ninguém menos que o molusco 9 dedos, e ninguém destes 2 esta preso? Lamentável :( | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas