política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

PSDB-SP confirma candidatura à reeleição de Geraldo Alckmin Com críticas a adversários, candidato tucano fecha ciclo de convenções para o governo de São Paulo

Amanda Almeida

Denise Rothenburg

Publicação: 30/06/2014 07:28 Atualização:

Tucanos reunidos durante evento na capital paulista: tentativa de estender o poder para além dos 20 anos (Orlando Brito/Divulgação )
Tucanos reunidos durante evento na capital paulista: tentativa de estender o poder para além dos 20 anos


Na tentativa de estender os 20 anos do partido à frente do governo de São Paulo, o PSDB oficializou nesse domingo (29/6) a candidatura à reeleição de Geraldo Alckmin. Líderes da legenda se uniram em discursos com ataques aos principais adversários do tucano — Alexandre Padilha (PT) e Paulo Skaf (PMDB). A estratégia de Alckmin é explorar o fato de os concorrentes nunca terem exercido cargo eletivo, enquanto ele e correligionários são experientes na gestão do estado. Em São Paulo, a sigla ainda precisa resolver um problema: quem apoiará ao Senado.

“São Paulo não quer saber de contabilidade criativa. São Paulo não quer esperteza ou arrogância, mas quer experiência e honestidade”, atacou Alckmin, em referência a supostas manobras contábeis do PT à frente do Palácio do Planalto e da estreia de Skaf e Padilha em eleições. Ele repetiu que “não existe atalho na vida pública” nem “jeitinho” para garantir bons resultados em áreas como saúde e educação. Embora à frente nas pesquisas, o PSDB está preocupado com uma possível repercussão das investigações sobre o cartel do metrô, que tem como alvo políticos do partido.

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, manteve o tom dos ataques. O tucano atirou direto contra o PT, da presidente Dilma Rousseff, sua concorrente em outubro. “Infelizmente, a vitória para eles não significou apenas uma oportunidade de exercer um projeto de poder, mas a possibilidade de ascensão econômica”, acusou. O ex-governador José Serra também criticou os petistas. “São Paulo tem sabido se reinventar e progredir, apesar dos esforços do governo federal, que é inepto e incompetente na gestão do país”, disse na convenção tucana.

Leia mais notícias em Política

Serra disse, ainda, que o PT nunca foi “socialista” ou de “esquerda”. “O PT não tem mais auroras a oferecer, não sabe por que quer governar nem por que pretende ficar mais quatro anos”, afirmou. O tucano deixou a convenção sem fazer comentários sobre seu futuro político. Até então cotado para o Senado, Serra disse a aliados que desistiu da corrida e tentará uma vaga na Câmara dos Deputados.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas