política
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Dilma diz que Baixada Fluminense será uma das regiões mais ricas do Rio A presidente participou da cerimônia de inauguração da rodovia de 71 quilômetros do anel rodoviário, em Duque de Caxias, na Baixada

Agência Brasil

Publicação: 01/07/2014 12:17 Atualização:

A presidente da República, Dilma Rousseff, disse nesta terça-feira (1º/7) que o Arco Metropolitano do Rio de Janeiro transformará a Baixada Fluminense em uma das regiões mais ricas do estado do Rio de Janeiro. A presidente participou da cerimônia de inauguração da rodovia de 71 quilômetros do anel rodoviário, em Duque de Caxias, na Baixada.

Dilma com integrantes da Escola de Samba Beija Flor de Nilópolis, durante abertura ao tráfego do Arco Metropolitano do Rio (Roberto Stuckert Filho/PR)
Dilma com integrantes da Escola de Samba Beija Flor de Nilópolis, durante abertura ao tráfego do Arco Metropolitano do Rio

“Esta região vai se transformar em uma das regiões mais rica do estado do Rio de Janeiro. Podem cobrar isso no futuro. Aqui foi dado passo essencial para gerar emprego de qualidade, para melhorar a vida da população que vive aqui”, disse a presidente.

A Baixada Fluminense concentra uma parcela grande da população da região metropolitana do Rio de Janeiro e é conhecida por problemas de pobreza, moradia, urbanização e saneamento básico. Segundo a presidente, o Arco Metropolitano abre oportunidades do ponto de vista logístico, econômico e social.

“O arco liga rodovias e um porto. É algo estratégico. Liga também grandes obras que estão sendo realizadas, como o Comperj [Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro, em Itaboraí]. Ao fazer isto, abre acesso a um território que estava desocupado na Baixada. Abre oportunidades sociais e econômicas. É um arco que pode ser chamado de caminho do futuro, caminho de oportunidades para instalação de empresas. Duvido que tenha lugar tão adequado para se instalar uma empresa como este arco”, disse a presidente.

Leia mais notícias em Política

Dilma também citou que o arco trará mais segurança aos moradores do Grande Rio, uma vez que tirará das ruas das cidades um tráfego pesado. “Tráfego pesado sempre causa acidentes e acidentes causam mortes. Mortes por transito são a principal causa de morte no Brasil”.

A demora na conclusão da obra, que levou sete anos, também foi lembrada pela presidente da República, que citou as dificuldades para a construção da rodovia de 71 quilômetros, como as desapropriações, descobertas de sítios arqueológicas e os desafios ambientais.

“E tivemos também a história da perereca. Todo mundo ria da perereca. A Dona Filó deu um trabalhão”, brincou Dilma, ao citar o caso do anfíbio Physalaemus soaresi, em perigo de extinção, encontrada em uma região por onde passava a rodovia e que provocou o atraso da obra.

Na cerimônia, também foi assinado um empréstimo de R$ 3,4 bilhões entre a Caixa Econômica Federal e a Companhia Estadual de Água e Esgoto do Rio para a construção de uma nova estação de tratamento de água e a ampliação da rede distribuidora.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: henrique gomes
Faz carinha de simpática, inaugura obra inacabada, vai prá TV falar besteira igualzinho ao parceiro. Fora PT! | Denuncie |

Autor: edilson souza
Basta descer cerca de 4 km abaixo do "Arco Metropolitano" em direção a Seropédica e vai ser ver o DESCASO, ABANDONO e a BURAQUEIRA da BR-465. Uma vergonha. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas