política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ministro Lewandowski adia eleição do novo presidente do Supremo Segundo o magistrado, a sessão não poderia acontecer devido às ausências de Luiz Fux e de Luís Roberto Barroso

Daniela Garcia - Correio Braziliense

Publicação: 01/08/2014 16:25 Atualização: 01/08/2014 16:35

Ministro Lewandowski preside interinamente a Corte nesta sexta, na volta do Judiciário (Carlos Moura/CB/D.A Press )
Ministro Lewandowski preside interinamente a Corte nesta sexta, na volta do Judiciário
O vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, adiou, nessa sexta-feira (1º), a eleição do novo presidente da Corte. O ministro justificou a mudança da data, em razão da ausência dos colegas Luís Roberto Barroso e Luiz Fux, em sessão, desta tarde. O magistrado não definiu qual será o dia da eleição.

"A Corte entendeu que, com a ausência de dois ministros, ministro Fux e ministro Barroso, ausências justificadas previamente, que não seria conveniente realizar um ato de tamanha importância, que é a eleição do futuro presidente da Corte, com o plenário reduzido dessa maneira", afirmou Lewandowski, ao final de rápida sessão no STF. O vice-presidente negou que o cancelamento ocorreu, devido a equívico cometido pelo ex-ministro Joaquim Barbosa, que não seguiu as regras do regimento interno. "Isso nem foi cogitado", alegou.


O ex-ministro Joaquim Barbosa havia marcado o ato para hoje, antes de deixar o cargo de comando do Supremo. No entanto, membros do Judiciário alegam que a decisão deverá ser realizada só na próxima semana, de acordo com regimento interno do STF. O documento informa que a eleição, por voto secreto, deve ocorrer na segunda sessão ordinária após a vacância do cargo. Por isso, a expectativa é que a data da eleição seja adiada para a próxima quarta-feira (13).

A previsão é de que o vice-presidente do STF, Ricardo Lewandowski, seja eleito para assumir o comando da Corte nos próximos dois anos, seguindo critério de antiguidade - ele é o mais antigo na Casa a não ter ocupado a presidência. A vice deve ser a ministra Cármen Lúcia.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas