política
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

PETROBRAS » Polícia Federal abre inquérito para apurar conduta de Graça Foster Presidente da estatal pode ter os bens bloqueados pelo TCU. Oposição tenta convocá-la novamente para prestar depoimento na CPI Mista

Redação - Correio Braziliense

Publicação: 10/08/2014 08:00 Atualização:

A oposição espera que o inquérito aberto pela Polícia Federal para investigar se a presidente da Petrobras, Graça Foster, omitiu do Senado informações sobre a compra da refinaria de Pasadena, no Texas, e a existência de contratos entre a estatal e um grupo do marido dela ajude a aprovar a convocação para novo depoimento ao Congresso. A CPI Mista da Petrobras receberá ainda pedido para ouvir uma contadora do doleiro Alberto Youssef, que mantinha negócios com o ex-diretor da empresa Paulo Roberto Costa.

A investigação da PF foi aberta depois de o Ministério Público Federal (MPF) encaminhar pedido do PSDB referente à conduta de Graça. Segundo a oposição, a empresa do marido dela, Colin Foster, tem 43 contratos com a Petrobras, embora ela tenha negado a existência desses vínculos em depoimento à Comissão de Infraestrutura do Senado em maio.

Empresa do marido de Graça Foster teria 43 contratos com a Petrobras: investigação a pedido do MPF  (Evaristo SA/AFP - 30/4/14)
Empresa do marido de Graça Foster teria 43 contratos com a Petrobras: investigação a pedido do MPF


“(A investigação da PF) é uma providência muito importante. Tudo que denunciamos é passível disso (de Graça ter mentido). O que a PF pode fazer é o confronto entre o que foi dito e os contratos da Petrobras”, diz o líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), em referência à investigação da PF, revelada ontem pelo jornal O Estado de S.Paulo. A atuação de Graça à frente da estatal é defendida pela presidente Dilma Rousseff, que disse ser absurda a possibilidade de o Tribunal de Contas da União (TCU) bloquear os bens dela no processo sobre Pasadena.

Integrante da CPI da Petrobras, o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), também quer a convocação da contadora Meire Bomfim Poza. De acordo com a revista Veja, Meire, que trabalhava com Youssef, preso na Operação Lava-Jato, disse que viu “malas de dinheiro saindo da sede de grandes empreiteiras, sendo embarcadas em aviões e entregues a políticos”.

 

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Tags:

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Paulo Costa
Só 43 contratos? Padrão PeTralha de administrar...é só lembrar do Lulinha e de sua meteórica trajetória! Será q ao ser novamente inquirida ela vai receber o "gabarito" de perguntas/respostas? Presidenta, absurdo não é bloquear bens de sua protegida...o absurdo é a mais uma "roubalheira" de sua corja! | Denuncie |

Autor: Júlio Albuquerque
Não tem jeito. Parece que toda pessoa que entra para o meio político um dia irá se corromper. Parece que é só uma questão de tempo. Demite logo essa mulher, pois desde que ela entrou a gasolina só aumenta, junto com os escândalos. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas