política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Recife: comitê de campanha amanhece com faixas pretas e clima é de tristeza Colaboradores que foram ao local estavam vestidos com camisas pretas e abalados com a morte de Eduardo Campos

Agência Brasil

Publicação: 14/08/2014 11:33 Atualização:

Colaboradores do comitê estão de luto pela morte de Eduardo Campos (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Colaboradores do comitê estão de luto pela morte de Eduardo Campos


O principal comitê de campanha do PSB no Recife amanheceu nesta quarta-feira (14/8) com faixas pretas nos muros, em luto pela morte do candidato do partido à Presidência da República, Eduardo Campos, que morreu ontem em acidente aéreo em Santos (SP). Os pouco colaboradores que foram ao local, no bairro Parnamirim, tinham semblante abatido e vestiam camisas pretas.

O coordenador de Infraestrutura do comitê, Gustavo Melo, informou que a campanha está suspensa por tempo indeterminado. “A campanha está parada, como se o exército perdesse o seu líder.” Ainda sem definição sobre o futura da chapa, correligionários foram orientados a recolher material de campanha com a foto de Eduardo Campos espalhado nas ruas da capital.

“Mais de 90% das nossas peças têm a foto de Eduardo. Tínhamos uma programação, um cronograma e tudo foi abortado. O momento agora não é de campanha. É de luto e tristeza. Está todo mundo abatido”, acrescentou Melo.

Nas ruas da capital pernambucana, o sentimento também é de tristeza e incredulidade. O vigilante Luiz Antônio Cândido disse à Agência Brasil que “ficou sem ação” com a tragédia. Segundo ele, a cidade praticamente parou depois da notícia do acidente. “Pernambuco parou. Não registrei nenhum carro. Hoje também está muito diferente do normal”, comentou o vigilante.

Leia mais notícias em Política

A vendedora autônoma Sunamita Rodrigues disse que a tristeza pela morte do ex-governador é semelhante ao sentimento da perda de um ente querido da família. “Não acompanho muito política, mas gostava muito dele. É um sentimento de profunda tristeza, como se um parente tivesse morrido”.

A doméstica Jacilda Lopes disse ainda não acreditar no ocorrido. “Estou muito triste. Eu vejo na televisão, mas ainda não acredito que essa tragédia aconteceu”.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas