política
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cerca de 160 mil pessoas prestam últimas homenagens a Eduardo Campos Admiradores, amigos, familiares e políticos acompanharam a missa, celebrada pelo diácono Aerton Carvalho. No velório, houve homenagens musicais. E multidão seguiu cortejo até o cemitério

Publicação: 17/08/2014 13:31 Atualização: 17/08/2014 17:51


Vice-candidata à Presidência da chapa de Eduardo Campos, Marina Silva chora ao lado do caixão

A missa de corpo presente de Eduardo Campos e os assessores Carlos Percol e Alexandre Severo, mortos em acidente aéreo na última quarta-feira, se encerrou por volta das 12h20 deste domingo. A cerimônica aberta ao público foi realizada na Praça da República, em frente ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual. O enterro do ex-governador de Pernambuco deve ocorrer por volta de 17h no Cemitério Morada do Sol. Eduardo Campos será enterrado em jazigo da família, ao lado de seu avô, Miguel Arraes. Por volta de 16h30, o cortejo - com o caixão em um carro do Corpo de Bombeiros - deixou a sede do governo, acompanhado por multidão nas ruas do Recife. Ao longo do dia, cerca de 160 mil pessoas acompanharam as últimas despedidas.

Mais cedo, admiradores, amigos, familiares e políticos, acompanharam a missa, celebrada pelo diácono Aerton Carvalho. Dom Fernando Saburido, arcebispo de Olinda e Recife, começou a falar a partir das 10h45. "Um ser humano apaixonado pelo povo, principalmente os mais empobrecidos", declarou o católico. O velório começou por volta de 2h e até 13h, a fila para as pessoas se aproximarem do caixão de Campos chegava a 3 km.

A viúva de Eduardo, Renata Campos assistiu à missa ao lado de Dona Magdalena Arraes, avó do ex-governador, e de Marina Silva, que deve ser anunciada candidata à presidência da República pelo PSB. Dilma Rousseff, Lula, Aécio Neves, José Serra, Luiz Erundina, Geraldo Alckmin, Alexandre Padilha e Roberto Amaral foram alguns dos políticos presentes.

Perto do fim da celebração, a população entoou o coro "Eduardo, guerreiro do povo brasileiro". Chorando, o ex-presidente Lula falou com a família.

Acidente
O jato Cessna que caiu em Santos na manhã de quarta-feira (13/8) levou à morte o pernambucano Eduardo Campos, o cinegrafista Marcelo Lyra, o jornalista Carlos Percol, o fotógrafo Alexandre Severo, e os pilotos Geraldo Magela e Marcos Martins. O avião havia saído do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro e seguia rumo ao aeroporto do Guarujá. Eduardo Campos tinha agenda de campanha à Presidência da República em Santos.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Carlos Sarina
Neste mes tb faleceu alguem muito proximo da.minha familia. Eu me pergunto, ja não estao exagerando nas coberturas? | Denuncie |

Autor: Marcos Antonio
Mito? Que mito? Ele era um anão no ombro de um gigantes, seu avô. Mas quem se lembra do Miguel Arraes. Aliás alguém se lembra de Ulysses? De Vargas?...Morreu, acabou. O mundo segue nas mãos dos vivos. Mortos não ganham eleição! | Denuncie |

Autor: Adeilsa Sekisugi
nem Deus perdoou | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas