política
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Renata Campos se reúne com PSB sobre possibilidade de assumir lugar de vice O PSB confirma na quarta-feira o nome de Marina Silva na chapa presidencial e o de quem estará ao seu lado como vice. A preferência dos pernambucanos é de que seja a viúva, Renata Campos. Hoje, ela comandará uma reunião para se pronunciar sobre a possibilidade

Denise Rothenburg

Amanda Almeida

Publicação: 18/08/2014 06:00 Atualização: 18/08/2014 08:28

No velório de Eduardo, peessebistas e pernambucanos reforçaram o coro para que a viúva do ex-governador seja companheira de chapa de Marina (Júlio Jacobina/DP/D.A Press)
No velório de Eduardo, peessebistas e pernambucanos reforçaram o coro para que a viúva do ex-governador seja companheira de chapa de Marina


O presidente do PSB, Roberto Amaral, avisou ontem que, sepultado o corpo de Eduardo Campos, começa agora oficialmente a discussão sobre a formação da nova chapa. Enquanto a ex-senadora Marina Silva está praticamente confirmada como a substituta do pernambucano na disputa pela Presidência, ainda está indefinido quem concorrerá ao seu lado, como vice. No velório de Eduardo, peessebistas e pernambucanos reforçaram o coro para que a viúva do ex-governador seja companheira de chapa de Marina. Paralelamente, o líder do partido na Câmara, Beto Albuquerque (RS), tenta garantir seu nome.

Como o Correio mostrou no sábado, o nome de Marina foi definido pela cúpula do PSB na última sexta-feira. Para a confirmação da candidatura, o partido pede que a ex-senadora “abrace o PSB” e deixe, pelo menos por enquanto, a ideia de abandonar a legenda para formar a Rede Sustentabilidade. Para a vice, a sigla quer um perfil com duas características: ser um quadro tradicional do partido e ter afinidade com as ideias de Eduardo Campos.

Se dependesse da vontade do prefeito de Recife, Geraldo Júlio, e do governador estadual, João Lyra, o vice de Marina seria do PSB de Pernambuco. O problema é que nenhum dos dois tem ascendência sobre a executiva nacional do partido. Do estado que até aqui ditou os destinos partidários sob a batuta de Eduardo, a figura mais forte depois da trágica morte do candidato a presidente da República é a viúva, Renata Campos. “Se Renata quiser ser vice, ela será”, comentou o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande.

Leia mais notícias em Política

Hoje, Renata comandará uma reunião do PSB pernambucano, que será observada com uma lupa pela executiva nacional socialista, porque será o seu primeiro pronunciamento depois da morte do marido, onde ela apontará que direção pretende seguir: entrar na vida política em busca de mandatos eletivos ou apenas apresentar-se como a guardiã do legado de Eduardo. A executiva do partido anuncia oficialmente a chapa na quarta-feira, em Brasília.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: José Ferreira Ferreira
Vocês do PSB, só podem estar de brincadeira. Tudo bem que ela seja viúva de um político experiente, mas daí lança-la como vice presidente, sem nehuma experiência política é outra coisa. Vocês não devem se levar pela emoção momentânea. Tem que lançar um vice-presidente com experiência em política. | Denuncie |

Autor: JORGE LUIZ
Gente, política eletiva à presidência da república é coisa séria,será decidido nas urnas,quem comandará o Brasil,nos próximos anos...não nos deixems levar pela emoção... | Denuncie |

Autor: francisco silva
Marina e renata, unidas pelos ideais do líder , que acaba de nascer.EDURDO CAMPOS.Força renata campos. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas