política
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Família de Eduardo Campos se une para enfrentar a dor da perda Ao lado um do outro durante todo o funeral, a viúva Renata Campos e os cinco filhos de Eduardo recebem a solidariedade de amigos e políticos

Denise Rothenburg - Enviada Especial

João Valadares - Enviado Especial

Publicação: 18/08/2014 11:02 Atualização:

Recife — A família Campos sai dessa tragédia como sinônimo de força, expressa na figura de Renata Campos, mãe dos cinco filhos do ex-governador de Pernambuco: Maria Eduarda, 22 anos; João, 20; Pedro, 18; José, 9; e Miguel, 7 meses. Hoje, ao completar 47 anos — o primeiro aniversário sem a presença física do marido nos últimos 34 —, ela assumirá outro posto, além de suporte dos filhos: o de líder política do PSB no estado.
A liderança não vem por acaso e nem por imposição. Nos últimos dias, foram as palavras da viúva e seus gestos que conquistaram o povo de seu estado ao ponto de, durante o velório, soarem palavras de ordem do tipo, “ei, Renata, nós oramos por você!”. Três ações marcaram: a primeira foi abrir a porta de sua casa a todos os amigos e aliados de Eduardo desde a fatídica quarta-feira, quando eles começaram a chegar. A segunda, a de só aceitar receber os restos mortais de seu marido quando todos os corpos das vítimas fossem liberados.

Por último, a marcação do trajeto do cortejo que saiu da Base Aérea até o Palácio das Campo das Princesas. Em vez de seguir por Boa Viagem, bairro de alto poder aquisitivo da capital pernambucana, ela determinou que seguisse pela Avenida Norte, que corta regiões mais populares. “Ele sempre valorizou a figura da mulher, em especial a que estava ao lado dele”, dizia Renata aos amigos. “E a mensagem dele ficou. Dudu teria menos de dois minutos na tevê. Agora, sua mensagem explodiu para todo o Brasil”, dizia a viúva, na última quinta-feira, quando ainda, em casa, esperava a chegada do corpo. Ao lado dos filhos, ela escolheu as músicas que tocariam na missa de corpo presente.



Renata só saiu de casa na noite de sábado, para receber o corpo do marido na Base Aérea. Todos os filhos a acompanharam, inclusive o pequeno Miguel. De lá, seguiram para o Palácio do Campo das Princesas. Ela foi dormir por volta das 5h, depois que Marina Silva havia saído, numa área preparada especialmente para a família passar a noite no palácio. Foi na sala reservada para o desjejum que Renata recebeu o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o primeiro a chegar para o velório. Ele ficou 20 minutos com a família. “Ela me surpreendeu. Está muito forte e consolando todo mundo”, disse o deputado.

Na parte da tarde, depois que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma e Aécio Neves e demais autoridades saíram, Renata subiu para amamentar o pequeno Miguel. Ali, recolhida entre seus familiares, falou da beleza da missa e lembrou as músicas, em especial, Vem, eu mostrarei, de Valdeci Farias, que embala celebrações religiosas pelo Brasil afora. “Vem, que a terra espera quem possa e queira realizar/Com amor, a construção de um mundo novo muito melhor!”

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: Tolerancia Zeero
Agnelo, Rollemberg,Dilma e tantos outros apareceram direitinho.Ah! faltou Genoíno,Zé Dirceu,Delúbio,Marco Valério,Lamas e mais idiotas. | Denuncie |

Autor: Tolerancia Zeero
Estou profundamente triste com a MORTE DO MEU CANDIDATO, que Deus conforte a Família dele e dos demais que morreram.Agora que o velório foi mais um cenário para muitos POLÍTICOS IDIOTAS aparecerem, inclusive os de Brasília que lá estiveram. Henrique Eduardo,Lula,Aécio que palhaçada a de vcs terem ido | Denuncie |

Autor: Iramar Barbosa da Silva
Nyll Rodrigues, " quem sabe faz a hora e não espera acontecer " ! Não foi sua ambição q o destruiu, pelo contrário, nesse acidente trágico, que, aliás, ta recheado de mistérios, o Brasil foi a grande vítima, pois perdeu a oportunidade de ver, no mínimo, um grande debate sócio-político ocorrer! | Denuncie |

Autor: Nyll Rodrigues
Soube que Lula pediu a Eduardo Campos para esperar para 2018 e tentar se eleger presidente com o seu apoio e no intuito de não tirar votos da Dilma esse ano. Ele não aceitou e sua ambição acabou por destruí-lo. Às vezes é melhor ir mais devagar naquilo que tanto almejamos porque pode dar tudo errado. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas