política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

10º Congresso da Associação Nacional de Jornais debate o futuro da imprensa Na cerimônia de abertura, palestrante Jean-Marie Dru, da TBWA, pede que jornais apostem "sem medo" no mundo digital

Felipe Seffrin

Publicação: 18/08/2014 14:16 Atualização:

São Paulo – Ruptura, inovação e avanço foram o tema de abertura do 10º Congresso Nacional de Jornais organizado pela Associação Nacional de Jornais (ANJ), entidade que reúne 129 publicações em todo o país, entre elas o Correio Braziliense e outros veículos dos Diários Associados. Na cerimônia de abertura realizada às 9h, em São Paulo, Jean-Marie Dru, presidente da TBWA, multinacional francesa de publicidade, enfatizou a necessidade das empresas jornalísticas se adaptarem ao mundo digital. “A tecnologia abre novas portas todos os dias”, enfatizou.

Carlos Fernando Lindenberg Neto, presidente da ANJ, destacou o papel das empresas de jornalismo e os obstáculos que a indústria jornalística precisa superar para manter sua relevância. “Temos uma missão importante na sociedade, na defesa da democracia e de uma sociedade plural e transparente”, defendeu Lindenberg Neto. “A indústria jornalística brasileira vive um momento especial em sua trajetória, diante de grandes desafios, sobretudo em relação ao mercado anunciante. É fundamental debatermos o que os jornais estão fazendo para inovar e avançar.”

Convidado especial na abertura do congresso que reúne mais de 600 representantes de jornais brasileiros em São Paulo, Jean-Marie Dru apresentou exemplos de inovação tecnológica que a TBWA desenvolveu em parceria com grandes empresas como Nissan, Adidas e Gatorade ao redor do globo. De acordo com o publicitário, é fundamental que os jornais apostem sem medo em novas tecnologias e plataformas como vídeos e aplicativos digitais. “O jornal impresso é central, mas o vídeo é o futuro. Isso não significa que o papel vai acabar, mas que devemos estar ao mesmo tempo no digital e no impresso”, destacou Dru.

Leia outras notícias em política

Para Jean-Marie Dru, a palavra-chave é ruptura. “Significa desafiar as convenções, descobrir algo simples que ninguém pensou antes”, explica. “O mundo atual é muito rápido e dinâmico. Os jornais, de todos os portes, precisam se aproveitar das novas tecnologias para obterem vantagens competitivas.” As inovações, segundo o presidente da TBWA, podem vir através de novos formatos e produtos, na melhoria dos serviços atuais ou na criação de uma demanda por serviços e conteúdos até então inexistentes. Sem deixar de lado a qualidade jornalística. “Os jornais brasileiros têm conteúdo fantástico para compartilhar com seus leitores. Mas é fundamental romper com modelos antigos e inovar. É a inovação que leva ao progresso.”

Inicialmente o 10ª CBJ contaria com a participação dos três principais candidatos à presidência, mas em virtude do acidente fatal com Eduardo Campos (PSB) na última quarta-feira, as agendas de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) foram alteradas. Os três candidatos, incluindo Campos, haviam confirmado presença e apoio à valorização dos jornais e à liberdade de imprensa no país.

Tags: imprensa tbwa anj

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas