política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Associação Nacional de Jornalistas premia jurista colombiana Catalina Botero é relatora Especial para a Liberdade de Expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA

Felipe Seffrin

Publicação: 19/08/2014 14:54 Atualização: 19/08/2014 23:15

São Paulo – A Associação Nacional de Jornalistas concedeu o Prêmio ANJ de Liberdade de Imprensa 2014 à jurista colombiana Catalina Botero, Relatora Especial para a Liberdade de Expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA). A premiação aconteceu durante o 10º Congresso Nacional de Jornais, em São Paulo, com a presença de mais de 600 representantes de veículos impressos brasileiros. Criada em 2008, o prêmio anual homenageia pessoas e entidades que se destacam na promoção ou defesa da liberdade de imprensa.

Catalina Botero é autora de diversos livros e ensaios sobre liberdade de expressão, direito constitucional, direito penal internacional e justiça em processos de transição política. Nos últimos seis anos ela trabalhou pela defesa dos direitos humanos na América Latina. “A verdade mais íntima é que não suporto o autoritarismo e admiro as pessoas livres, o jornalismo independente e o pensamento crítico”, discursou Catalina. “Temos o direito de viver em uma democracia. Não estou disposta a deixar que alguém tome de nós o prazer da leitura dos jornais.”



 

“Defender a imprensa é o trabalho que tenho procuro fazer. Estou consciente de que trata de uma tarefa incomensurável, que implica em enormes obstáculos e dificuldades”, disse Catalina. Ela agradeceu a homnagem e destacou a importância do prêmio concedido pela ANJ para que sua relatoria se torne “fortalecida nos lugares onde o crime organizado e o espírito autoritário” cerceiam a liberdade da imprensa.

Vice-presidente da ANJ e diretor-executivo do Grupo Estado, Francisco Mesquita Neto foi o responsável por entregar a premiação à Catalina Botero. “Ela foi escolhida como reconhecimento ao seu trabalho de defesa da liberdade de imprensa nas Américas, mesmo diante de hostilidades em governos como Venezuela, Argentina e Colômbia”, destacou Mesquita Neto. “Expresso nossa certeza de que os direitos humanos terão nela uma defensora intransigente onde quer que a doutora venha a atuar.”

Vencedores do Prêmio ANJ de Liberdade de Imprensa

2014 – Dra. Catalina Botero Marino, Relatora Especial para a Liberdade de Expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA)
2013 – Não houve premiação
2012 – ABRAJI – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo
(pela promoção do jornalismo profissional, independente e de qualidade no Brasil).
2011 – Diario Clarín (Argentina)
(pela postura combativa frente as ações contrárias à liberdade de imprensa em seu país)
2010 – Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) (pela defesa da liberdade de imprensa nas Américas)
2009 – Deputado Miro Teixeira (pela ação propondo ao STF o fim da Lei de Imprensa)
2008 – Ministro Carlos Ayres Britto – Supremo Tribunal Federal (pelo encaminhamento favorável ao fim da Lei de Imprensa, na ação que tramitou no STF)

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas