política
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

"Marina queria partido à sua imagem e semelhança", critica Eduardo Jorge Candidato do PV foi o primeiro a participar de série de entrevistas de rádio

Jacqueline Saraiva

Publicação: 26/08/2014 08:25 Atualização: 26/08/2014 08:57

O candidato do Partido Verde (PV) à Presidência da República, Eduardo Jorge, admitiu que a separação de Marina Silva da sigla foi uma divisão que só “enfraqueceu a questão ambiental no país”. Em entrevista, nesta manhã de terça-feira (26/8), ele abre a série de entrevistas feitas pela rádio CBN.

Desenvolvimento sustentável é a principal bandeira de Eduardo Jorge, candidato do PV à presidência (Oswaldo Reis/Esp. CB/D.A Press)
Desenvolvimento sustentável é a principal bandeira de Eduardo Jorge, candidato do PV à presidência
Segundo o presidenciável, o que favoreceu a saída da atual candidata do PSB do Partido Verde é o fato de que ela parecia querer agir sozinha. “Marina é uma moça maravilhosa, mas havia uma vontade de que houvesse mais um partido à sua imagem e semelhança”, criticou. Eduardo Jorge ressaltou o prestígio pessoal da ex-senadora, mas que a estrutura política é frágil. “Tanto é que ela sequer conseguiu organizar um partido próprio”.

Leia mais notícias em Política

O prejuízo maior para a força ambiental no Brasil, segundo Eduardo Jorge, é não ter uma política estruturada, como é na Alemanha, por exemplo, onde há um diálogo maior da sustentabilidade com a política. “Essa é uma das minhas maiores missões à frente do cargo”. O tema é a principal bandeira da sigla na corrida pela presidência. Eduardo Jorge afirmou que a candidatura dele é uma forma de relançar teses tradicionais do PV no país inteiro, menos focado em Brasília e mais no Brasil. “O que vai implicar inclusive na reforma dos partidos”, alertou.

Polêmicas

Na entrevista ele também respondeu questões sobre questões polêmicas. Segundo ele, a ideia do PV é que o país tenha leis que tratem o aborto de uma forma mais humana, para evitar a morte de centenas de mulheres, que optam pela clandestinidade para interromper uma gravidez. Sobre a legalização da maconha, o candidato classificou como “burras” as convenções, como a da Organização das Nações Unidas (ONU), que só facilitaram o avanço da dependência no mundo todo.

Para ele, a situação atual de criminalidade é resultado de um fracasso de uma política, que prometeu erradicar o avanço de drogas psicoativas no mundo, mas que falhou. “A política do PV é por uma política mais inteligente para diminuir os prejuízos que as drogas psicoativas provocam, como é o caso da maconha. (...) Não se pode continuar num modelo que não serve”, finalizou.

Perfil

O ex-deputado federal Eduardo Jorge concorre à Presidência da República pela primeira vez. A atual vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, também do PV, complementa a chapa como vice. Médico sanitarista, 64 anos, ele nasceu em Salvador e passou a infância e a juventude em João Pessoa. Foi deputado estadual de 1983 a 1986, deputado federal nas legislaturas de 1987 e 2003 e secretário municipal da Saúde e do Meio Ambiente de São Paulo. É um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) em 1980, do qual se desfiliou em 2003 quando entrou no PV.

Programa de governo

O Partido Verde tem como principal bandeira o desenvolvimento sustentável. As propostas de governo incluem o fortalecimento das matrizes energéticas limpas, como a solar, a eólica e a biomassa, e a superação da pobreza por meio de políticas de sustentabilidade. Prevê reforma política com a diminuição do número de parlamentares em nível federal, o fim das verbas de gabinete e de frotas de carros oficiais. Também propõe a extinção do Senado e a redução de 25% em cada bancada dos estados na Câmara. A candidatura de Eduardo Jorge no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi feita em 3 de julho.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: Marcio Oliver
Sai do Ministério do Meio Ambiente, sai do PT, sai do PV, sai da REDE, em breve sairá do PSB. Nos bastidores, é conhecida pelo egocentrismo de suas ações. O Brasil caminha para o abismo se eleger essa "coringa" política, assim como Fernandinho Collor foi. | Denuncie |

Autor: sandra silva
O partido criado pela Marina não conseguiu o registro todos nós sabemos porque. A bandeira da Marina é de desenvolvimento sustentável sim e não adianta que Marina pretende prestar melhores serviços para o cidadão brasileiro. | Denuncie |

Autor: alvailton santos
Estranho este Senhor. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

PUBLICIDADE

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas