política
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Dilma afirma que criminalizar a homofobia não se relaciona com religião Em caminhada com Lula em São Paulo, a presidente voltou a defender a aprovação do projeto que torna homofobia crime e alfinetou a adversária Marina Silva

Redação - Correio Braziliense

Publicação: 02/09/2014 18:33 Atualização: 02/09/2014 19:19

Depois do recuo no programa LGBT da candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva, a presidente Dilma Rousseff (PT) declarou que a criminalização da homofobia não tem relação com religião. Candidata à reeleição, Dilma participou nesta terça-feira (2/9) de uma caminhada com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e integrantes do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo (SP). A presidente também criticou as propostas de Marina na área econômica.

"Fiquei muito preocupada com o programa da candidata Marina, porque ela reduz a pó a política industrial", disse a presidente antes de participar da caminhada. Dilma disse também que adversária é contra a política de conteúdo local "tanto para a indústria automobilística como para a indústria do petróleo".



Quando questionada sobre a demora para votação do PL 122, que criminaliza a homofobia, Dilma defendeu o projeto. “Não tem nada a ver com questão religiosa, com o Estado brasileiro estar interferindo onde não pode. É reprimir, criminalizar qualquer ato que signifique ferir uma pessoa baseado em critérios não civilizados”, disse a presidente. Ela também afirmou que o projeto segue em ritmo normal e negou que o Executivo tenha pedido adiamento da votação. De acordo com ela, seu governo está "comprometido com o combate desse tipo de violência".

 (PAULO WHITAKER)


Leia mais notícias em Política

O ex-presidente Lula fez um discurso curto, de pouco mais de 10 minutos. Ele pediu votos aos eleitores que o escolheram. “O setor da grana preta não quer que o PT continue governando o país. Se quisermos que o país continue andando de cabeça erguida, e não subordinado ao sistema financeiro, não temos outra escolha a não ser votar na Dilma”, afirmou. Ele também lembrou as lutas dos sindicalistas no ABC e cobrou engajamento dos militantes para convencer os eleitores que ainda estão indecisos.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Jorge Magalhaes
A candidata Dilma sempre se utilizou da bancada evangélica quando precisou aprovar projetos, agora vira as costas à esta comunidade. Vai levar o troco nas urnas. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

PUBLICIDADE

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas