política
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

"Falta melhor definição do que é homofobia", diz Eymael em entrevista O presidenciável reafirma ser contrário ao projeto que criminaliza a homofobia e reforça necessidade da criação do Ministério da Família

Jacqueline Saraiva

Publicação: 04/09/2014 09:03 Atualização: 04/09/2014 09:11

 ( Ed Alves/CB/D.A Press)


O candidato José Maria Eymael, que disputa pela quarta vez a Presidência da República pelo Partido Social Democrata Cristão (PSDC) reafirmou ser contrário ao projeto de lei que criminaliza a homofobia, ressaltando que é um tema sensível e que precisa ter sua definição revista. Na manhã desta quinta-feira (4/9), ele é o sétimo candidato a falar em uma série de entrevistas com os presidenciáveis à rádio CBN.

Eymael destacou que é necessário fazer cumprir a Constituição, resgatando os valores éticos da família, a principal bandeira de defesa do partido. O candidato reforçou a proposta de redução no número de pastas no governo federal, mas ressaltando a necessidade de implementar o Ministério da Família. “Esse ministério já existe hoje em países como a Alemanha, Canadá, Portugal. (...) É caracterizado por dois pilares: para ser formador de políticas públicas e uma conscientização da população do que é educar”, explicou.

Ao ressaltar que o partido não tem viés religioso, o presidenciável afirma que o debate sobre a homofobia precisa de uma postura mais equilibrada. “Não se constrói uma sociedade dessa maneira. Sou contra o projeto que criminaliza a homofobia e sou contra porque falta uma melhor definição do que é a homofobia hoje”. O candidato também se defendeu da crítica de que seria um político conservador pela posição sobre o tema. “Não sou um conservador. É difícil chamar de conservador alguém que enfrentou a ditadura militar. (...) Falta [no projeto de lei] uma definição melhor”.

Questionado sobre os riscos da exploração do pré-sal, Eymael afirmou que a riqueza é um patrimônio que o país tem e que tem que ser usufruído, mas que é necessário uma reavaliação de como o processo é feito. Também se colocou contra a privatização da Petrobras e afirmou que a estatal vive hoje reflexos de erros de gestão. “A Petrobras é patrimônio dos brasileiros e que hoje está sendo agredida pela má gestão. (...) Tem que ter um nível de eficiência, de qualidade”.

Leia mais notícias em Política

O candidato finalizou a entrevista defendendo melhores políticas para a Previdência Social. Disse ser a favor de uma reforma tributária que reduza e simplifique os impostos. Em relação ao fator previdenciário, medida que reduz o benefício da aposentadoria no caso de quem se aposenta mais jovem, ele destacou que o instrumento é “uma grande agressão aos aposentados”. “Você tem que ter um processo de transição de tudo isso. O grande desafio que temos hoje é fazer o país crescer. Com o país crescendo você tem uma contribuição maior”, defendeu.

Perfil

Fundador do PSDC, José Maria Eymael é advogado, nasceu em Porto Alegre e tem 74 anos. Já concorreu ao cargo de presidente em 1998, 2006 e 2010. O presidente da legenda em Roraima, Roberto Lopes, é o candidato a vice. O PSDC não está coligado a nenhuma legenda. Sua trajetória política começou na capital gaúcha, onde foi um dos líderes da Juventude Operária Católica. Em 1962, filiou-se ao Partido Democrata Cristão (PDC) e atuou como líder jovem do partido. Como parlamentar federal, Eymael defendeu a manutenção da palavra Deus no preâmbulo da atual Constituição Federal durante a Assembleia Constituinte, considerado um marco em sua trajetória política.

Programa de governo

O PSDC tem 27 diretrizes em seu programa de governo, em referência ao número da legenda. Entre elas, cumprir e fazer cumprir a Constituição, resgatar e proteger os valores éticos da família, simplificar a política tributária e reduzir a carga dos impostos. O candidato propõe um programa de saúde pública com foco na prevenção e defende a prática de um ensino inclusivo, que abarque as crianças e jovens portadores de necessidades especiais. A “obsessão pelo desenvolvimento” e uma política externa vinculada às grandes economias mundiais, também são bandeiras do partido na disputa pela Presidência da República.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: GEORGE TOLEDO
certissimo e é uma pena que o brasil não reconhece quem realmente é a favor dos principios básicos da tradicional família brasileira, como ja disse enéias em entrevista não sou contra o movimento gay, sou a favor da procriação e nunca vi homem com homem ter filhos, | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

PUBLICIDADE

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas