SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Vídeos: carreira política de Eduardo Cunha é recheada de polêmicas

Cunha foi preso nesta quarta-feira (19/10)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/10/2016 17:07 / atualizado em 19/10/2016 17:07

O ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi preso nesta quarta-feira (19/10), em Brasília. A prisão dele é preventiva e a decisão foi do juiz Sérgio Moro.

Eduardo Cunha tem a carreira política recheada de frases e declarações polêmicas. Ele foi responsável, por exemplo, por desarquivar o polêmico projeto do Estatuto da Família, que reconhece como família apenas a união entre homem e mulher. Durante um culto evangélico no Rio de Janeiro, o ex-presidente da Câmara foi taxativo: "A maioria da sociedade pensa como nós pensamos, É só deixar que a maioria seja exercida, e não a minoria", disse durante culto evangélico no Rio de Janeiro neste domingo.

Em outro momento, Cunha falou sobre seu pronunciamento em cadeia de rádio e televisão e disse que estava preparado para um 'panelaço'. "Se tiver um panelaço, vou ficar muito feliz porque vai ser do PT, vai ser um petezaço. Se fizerem isto, a única coisa que vão conseguir é dar destaque ao meu pronunciamento e eu não estou fazendo isto em busca de apoio popular. Estou fazendo uma prestação de contas", disse.

Veja, nos vídeos, outras declarações que marcaram o mandato de Eduardo Cunha na presidência da Câmara.

Em entrevista coletiva, Cunha diz que é vítima de vingança política devido ao impeachment de Dilma Rousseff: e ataca o governo:


Em discurso de renuncia à presidência da Câmara dos Deputado, Cunha chorou. "Sofri e sofro muitas perseguições. Estou pagando um alto preço por ter dado início ao processo de impeachment", disse ele. "Resolvi ceder aos apelos generalizados dos meus apoiadores. É público e notório que a Casa [Câmara] está acéfala, fruto de uma interinidade bizarra que não condiz com o que país espera de um novo tempo após o afastamento da presidente da República. Somente minha renúncia poderá pôr fim a esta instabilidade sem prazo. A Câmara não suportará esperar indefinidamente", disse.

 

Na ocasião, o deputado demonstrou emoção ao falar das acusações contra sua mulher e filha, também investigadas pelo uso de contas na Suíça suspeitas de terem recebido propina do esquema de corrupção na Petrobras.




O polêmico Eduardo Cunha declara-se na oposição do governo e afirma rompimento com o governo. “O governo não me engole, o governo tem um ódio pessoal contra mim”.



O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, do PMDB, critica o PT e expressa toda sua indignação durante coletiva de imprensa, após protesto não pacífico de militantes do PT e outros movimentos vinculados ao PT como a CUT, MST e Movimento LGBT, durante audiência pública na Paraíba.



Em discurso, Cunha pede ao plenário que o julgue com isenção, declarando que não mentiu à CPI. Exaltado, ele questiona a falta de provas sobre a conta bancária que teria no exterior. O deputado cassado se emociona ao pedir que não o julguem pelo que está colocado na opinião pública, além de citar a família e o fim da carreira dele. Também acusa os parlamentares de não conhecerem o processo e de estar fortalecendo "o discurso do golpe", caso decidam pela cassação de



"A querida já foi", diz Eduardo Cunha após ter mandato cassado . Cunha  se referia ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.



publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade