SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Procuradoria vê lavagem em empréstimo de igreja à mulher de Cunha

Em depoimento à Lava-Jato, em abril deste ano, Cláudia Cruz declarou que conhece Francisco Oliveira da Silva, presidente da Igreja Evangélica Cristo em Casa e que 'nunca teve situação de necessidade financeira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/10/2016 10:38

Agência Estado

  EVARISTO SA / XGTY  / AFP PHOTO

 

A força-tarefa da Operação Lava-Jato identificou um empréstimo de R$ 250 mil da Igreja Evangélica Cristo para a mulher do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso por envolvimento no esquema de corrupção instalado na Petrobras. No pedido de prisão do peemedebista, a Procuradoria da República, no Paraná, destaca um 'empréstimo simulado com estratagema para lavagem de dinheiro'.

A Igreja Evangélica Cristo pertence ao radialista Oliveira Francisco da Silva, ex-deputado federal e aliado de Cunha.

"A partir da DIRF (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte) de Cláudia Cruz, identificou-se a declaração de um empréstimo supostamente contraído junto a Francisco Oliveira da Silva, presidente da Igreja Evangélica Cristo de R$ 250 mil no ano de 2008. Contudo, realizada a quebra de sigilo bancário de Cláudia Cruz e de Francisco Oliveira da Silva, não foram identificados relacionamentos financeiros entre as partes", observam os procuradores.

"Ao que tudo indica, Francisco Oliveira da Silva jamais emprestou dinheiro a Cláudia Cruz, sendo lógico que a simulação do contrato de mútuo serviu apenas como uma fraude para dar lastro para o ingresso de recursos espúrios provenientes dos crimes praticados por Eduardo Cunha no patrimônio da investigada", aponta a Lava-Jato.

Leia mais notícias em Política

Em depoimento à Lava-Jato, em abril deste ano, Cláudia Cruz declarou que conhece Francisco Oliveira da Silva, presidente da Igreja Evangélica Cristo em Casa e que 'nunca teve situação de necessidade financeira'. A mulher de Cunha foi questionada sobre o empréstimo e disse, na ocasião, nada saber 'sobre este fato'.

Eduardo Cunha foi preso na quarta-feira (19/10) por ordem do juiz federal Sérgio Moro e a pedido da força-tarefa da Lava-Jato. O magistrado mandou capturar preventivamente o ex-deputado, que responde a uma ação penal na 13ª Vara Federal de Curitiba, de titularidade de Sérgio Moro, sob o argumento de 'risco à ordem pública e à instrução penal'.

Cláudia Cruz é ré na Lava-Jato. A mulher do peemedebista é acusada de lavagem de dinheiro. Segundo denúncia do Ministério Público, Cláudia teria evadido cerca de US$ 1 milhão por meio de contas secretas no exterior abastecidas por seu marido com dinheiro da corrupção na Petrobras. A reportagem tentou contato com o presidente da Evangélica Cristo, mas ele não foi localizado.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
filomena
filomena - 20 de Outubro às 18:43
PROTESTANTE USANDO O NOME DE DEUS PARA FRAUDAR O POVO BRASILEIRO. A RELIGIAO DELES E' UMA FARSA, E' SO' PARA ENGANAR ESSES BESTAS QUE ACREDITA NESSA RELIGIAO DE HOMENS.
 
RAIMUNDO
RAIMUNDO - 20 de Outubro às 13:55
O Brasil precisa, com urgência, acabar com o foro privilegiado para os políticos, pois, o nosso STF não condena nenhum dos políticos corruptos denunciados pelo Ministério Público. O Juiz Sérgio Moro já condenou vários ex-políticos por que não tem mais foro privilegiado, enquanto há centena de denuncia do MP junto ao STF e nada acontece. Isso é um absurdo, que país é este?
 
carlos
carlos - 20 de Outubro às 11:01
QUANDO VEJO RELIGIOSOS ENVOLVIDOS NA CORUPÇÃO POLITICA, FICO TRISTE! VIROU MODA ISSO! AGORA ESSE CRIVELA QUERENDO SER PREFEITO DO RIO, É BRINCADEIRA!

publicidade