SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Capitão Wagner intensifica uso de caciques políticos em campanha

Wagner é candidato de uma aliança entre PMDB, PSDB, PR e Solidariedade, principais partidos de sustentação do governo do presidente Michel Temer

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/10/2016 16:54

Agência Estado

Nesta reta final, o candidato do PR à prefeitura de Fortaleza, Capitão Wagner, intensificou o uso de caciques da tradicional política cearense em sua campanha contra o adversário Roberto Cláudio (PDT), atual prefeito. Os senadores Eunício Oliveira (CE), líder do PMDB no Senado, e Tasso Jereissati (PSDB-CE) são seus aliados nesta disputa.

Wagner é candidato de uma aliança entre PMDB, PSDB, PR e Solidariedade, principais partidos de sustentação do governo do presidente Michel Temer. "Tanto na rua quanto na TV a gente usou a imagem dos dois para mostrar que tem força em Brasília para buscar os recursos para que possa cumprir as promessas", afirmou Wagner à reportagem.

 

Leia mais em Política

 

 Em uma dessas propagandas no rádio, Wagner chegou a apresentar Eunício como presidente do Senado, o que foi considerado depois como "erro". O peemedebista é um dos nomes cotados para suceder o atual presidente da Casa, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), a partir de fevereiro de 2017. A Justiça Eleitoral do Ceará, porém, proibiu a inserção. As emissoras que descumprirem a determinação estão sujeitas a multa. A assessoria de Wagner, que é deputado estadual, diz que foi um "erro de produção".

Candidato à reeleição por uma coligação de 18 partidos (PDT/ PP/ DEM/ PEN/ PSC/ PSDC/ PRTB/ PTC/ PPS/ PTN/ PPL/ PSL/ PV/ PTB/ PSD/ PROS/ PMB/ PCdoB), o atual prefeito de Fortaleza minimiza o fato de ser oposição ao governo federal. "Bons projetos sempre vão ter espaço", afirmou. Roberto Cláudio cita ainda a possibilidade de a prefeitura conseguir empréstimos com bancos e organismos internacionais para financiar os projetos.

Assim como Wagner, o prefeito intensificou a participação na campanha do segundo turno de seus padrinhos políticos: os ex-ministros Cid e Ciro Gomes, ambos do PDT. Nessa quinta-feira, 27, os dois participaram de comício ao lado do prefeito no comitê central da campanha. Ciro também tem usado o Facebook para criticar o candidato adversário. A reeleição do aliado em Fortaleza é importante para reforçar a candidatura de Ciro à Presidência da República em 2018.

Após a derrota no primeiro turno da candidata do PT, a deputada Luizianne Lins, que ficou em 3.º lugar, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), também passou a participar dos atos da campanha de Roberto Cláudio. Até então, o gestor petista apoiava o prefeito apenas nos bastidores. O partido liberou seus filiados no segundo turno, mas as principais figuras da sigla no Estado, como o deputado federal José Guimarães, apoiam publicamente o candidato do PDT.

Roberto Cláudio lidera as pesquisas de intenção de voto, mas sua vantagem em relação ao adversário diminuiu. Nos dois últimos levantamentos do instituto Datafolha, encomendado pelo jornal O Povo, o atual prefeito de Fortaleza oscilou de 59% para 56% dos votos válidos, enquanto o candidato do PR foi de 41% para 44%. Duas novas pesquisas, uma do Ibope e outra do Datafolha, devem ser divulgadas neste sábado, 28.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade