SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Temer diz que reunião foi em clima de "harmonia absoluta e responsabilidade

Temer aproveitou para exaltar o ineditismo da reunião conjunta para tratar da segurança pública do país

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/10/2016 16:49 / atualizado em 28/10/2016 17:05

Julia Chaib , Paulo de Tarso Lyra /Correio Braziliense

Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press
 

O presidente Michel Temer disse na tarde desta sexta-feira (28/10) que a reunião da qual participaram os representantes dos Três Poderes transcorreu em clima de "harmonia absoluta e responsabilidade". O encontro ocorreu no Itamaraty, para tratar de segurança e colocou na mesma mesa, pela primeira vez desde que trocaram farpas públicas, no início da semana, o presidente do Senado, Renan Calheiros e a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia. Antes do encontro, na quinta-feira (27/10), Renan já havia ligado para Cármen e pedido desculpas.

 

Leia mais notícias de Política

 

Nesta semana, o senador chamou de "juizeco" o magistrado Vallisney de Souza, da 10ª Vara Federal, que autorizou a prisão de quatro policiais legislativos do Senado na última sexta-feira. A presidente do Supremo rebateu e exigiu "respeito" ao Judiciário. O presidente teve que interferir para tentar apaziguar os ânimos. "Clima de harmonia absoluta e de responsabilidade. Todos eles, todos nós, aliás, voltados para este tema, que preocupa o estado brasileiro", disse Temer, nesta sexta, sobre a reunião.

Na segunda-feira, Renan também disparou críticas contra o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e afirmou que ele agia como um "chefete de polícia". O presidente do Senado ligou para Temer e disse que não se sentaria perto de Moraes. O mal-estar chegou a ameaçar a própria reunião desta sexta. Renan cedeu após uma ligação do próprio Temer o convidando para o encontro.

Inédito

Temer  aproveitou para exaltar o ineditismo da reunião conjunta para tratar da segurança pública do país.  "Foi uma coisa inédita a reunião dos Três Poderes da União, juntamente com o procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, e as autoridades vinculadas ao tema da segurança pública para tratar dessa matéria", disse.

O presidente afirmou que a reunião deve se repetir a cada três ou quatro meses e que haverá encontros também com governadores e secretários de segurança. "O Supremo já decidiu que as verbas do Fundo Penitenciário devem ser utilizadas plenamente. Não podem ser contingenciadas. E nós já deliberamos para este ano a aplicação na área de equipamentos da polícia R$ 778 milhões e o Fundo de Segurança Pública também será usado para o aprimoramento e construção do penitenciário", afirmou.

A reunião durou mais de quatro horas. Temer abriu o encontro com um discurso, seguido pela presidente do Supremo Tribunal Federal. O ministro das Relações Exteriores, José Serra, o anfitrião, encerrou a reunião.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade