SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Brasil é exemplo de direitos humanos, diz secretário-geral da ONU a Temer

Guterres afirmou ainda que o Brasil "demonstra ao mundo que os diretos humanos devem respeitados pelo seu valor, e não em razão de objetivos políticos ou militares"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/10/2016 15:19 / atualizado em 31/10/2016 15:51


O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, em reunião com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto, destacou o caráter democrático do país e disse que o Brasil é um exemplo da defesa dos direitos humanos. "O Brasil é um país democrático, comprometido com os direitos humanos e com uma política externa independente", disse, conforme informações divulgadas pela assessoria de imprensa do governo.

Guterres afirmou ainda que o Brasil "demonstra ao mundo que os diretos humanos devem respeitados pelo seu valor, e não em razão de objetivos políticos ou militares". "Esse é o papel que o Brasil pode desempenhar em um mundo que caminha para a multipolaridade: demonstra a universalidade dos direitos humanos e a importância do diálogo para a solução dos problemas globais", completou.

Leia mais notícias em Política


Guterres, que é português e foi aprovado por unanimidade para o cargo no último dia 13, vai suceder o sul-coreano Ban Ki-moon em janeiro, disse ainda que Brasil e Argentina têm as leis mais avançadas de proteção a refugiados.

Além de reunião com o novo secretário-geral da ONU, Temer recebeu os presidentes de países de língua portuguesa, que estão no País para a XI Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Segundo informações do Planalto, durante a conversa que Temer teve mais cedo com o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, foi tratada a situação econômica dos dois países. O presidente português teria comentado com o brasileiro sobre a reforma da Previdência Social feita no país europeu e dito que ela foi "crucial". Sousa comentou ainda, segundo informações da assessoria de Temer, que em Portugal os dias de greve não são pagos.

O presidente brasileiro destacou ao seu colega a aprovação da PEC do teto dos gastos e também falou sobre a proposta da reforma da previdência que pretende implementar, assim como de algumas parcerias público-privadas.

Temer e o presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, assinaram acordo com o propósito de estabelecer e explorar serviços aéreos entre os dois países.

Já na conversa com o vice-presidente de Angola, Manuel Domingos Vicente, os dois trataram da importância de estreitar relações entre os dois países e que a CPLP é um bom espaço para isso. O angolano agradeceu o terreno que o Brasil concedeu em Brasília para construção da nova sede da Embaixada de Angola.

Depois, com o presidente do Timor Leste, Taur Matan Ruak, foram discutidas oportunidades de cooperação técnica, em especial na área de defesa e educação. Temer destacou que Brasil quer manter relação de "muita proximidade" com o Timor e cumprimentou o país pelo trabalho na presidência da CPLP nos últimos dois anos e disse que esta será a primeira vez desde 2008 que um chefe de Estado brasileiro participa da reunião da comunidade.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.