SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Prisão de Sérgio Cabral fecha cerco para o PMDB e enfraquece o partido

A prisão do peemedebista é mais um golpe na legenda, que se enfraquece ainda mais no Rio, após fracasso na eleição municipal

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/11/2016 06:00

Julia Chaib

WILTON JUNIOR/ESTAD?O CONTE?DO


A prisão de outro peemedebista no âmbito da Lava-Jato fecha cada vez mais o cerco ao PMDB. O Palácio do Planalto, no entanto, buscou afastar qualquer impacto da prisão do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral no governo ou na votação de medidas importantes no Congresso Nacional. E aproveitou para reforçar que a detenção seria mais uma prova de que não há interferência na Lava-Jato.

Integrantes do partido, porém, avaliam que a consequência prática da prisão, esperada há mais de um mês por correligionários de Cabral, é o enfraquecimento do PMDB no Rio de Janeiro, um dos estados onde a legenda era mais forte. As eleições municipais deste ano já revelaram a perda de força do partido, com a derrota do candidato peemedebista Pedro Paulo, apoiado pelo prefeito Eduardo Paes.

Leia mais notícias em Política

A legenda, que tem o governador, o presidente da assembleia municipal e diversos outros quadros, não terá mais o prefeito, e poderá ver sua participação reduzida com chances pequenas de vitória de eventuais candidatos nas próximas eleições. “Essa expectativa para 2018 já não existe. Só de eliminar uma candidatura, já enfraquece. E se enfraquece em um estado, enfraquece nacionalmente”, disse um peemedebista.

Do ponto de vista do impacto que a prisão pode ter na aprovação de matérias no Congresso, a avaliação no Planalto e de outros peemedebistas é de que é pequena. Isso porque integrantes da sigla avaliam que todos os partidos estão envolvidos na Lava-Jato, então os parlamentares evitarão apontar o dedo entre si. E Cabral, embora fosse um líder, é um quadro muito específico do Rio de Janeiro.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade