SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

'Não confundam prisões de Cabral e Cunha com a de Garotinho, diz Rosinha

Demonstrando abatimento, Rosinha disse aos jornalistas que foi levar remédios para o marido

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/11/2016 13:17


A ex-governadora do Rio Rosinha Garotinho (PR), mulher do ex-governador Anthony Garotinho (PR), preso no complexo de Bangu, chegou por volta das 9h30 desta sexta-feira, 18, ao conjunto de presídios, na zona oeste do Rio. Apesar de não ser dia de visitas para presos que estão internados na unidade de saúde do complexo, Rosinha aguarda o advogado do marido na porta do presídio, junto com Vladimir, filho do casal.

Demonstrando abatimento, Rosinha disse aos jornalistas que foi levar remédios para o marido. Ela não quis comentar como Garotinho passou a noite, nem deu informações sobre seu estado de saúde. "Quero dizer para a população que não confundam a prisão de Sérgio Cabral e de Eduardo Cunha com a dele. Quem denunciou tudo isso foi o Garotinho. Ele não está envolvido nessas coisas. O que estão fazendo com ele é uma injustiça, uma birra local de pessoas que não gostam da gente", afirmou.

Leia mais notícias em Política


Rosinha voltou a dizer que responsabilizará o juiz que autorizou a transferência de Garotinho do hospital para Bangu - Glauce Oliveira, da 100ª Zona Eleitoral do Rio de Janeiro, em Campos, Norte Fluminense - caso algo aconteça com o marido. "Ele deveria estar em uma unidade coronariana. Se acontecer alguma coisa com ele, o juiz será responsabilizado porque, primeiro, ele está com problema de saúde e precisa do exame. Segundo, ele foi governador e secretário de segurança, e os principais bandidos que estão aqui foi ele quem prendeu. Ele não é bandido para estar aqui", defendeu.

Durante a entrevista da ex-governadora, mulheres de presos manifestaram-se a favor da prisão de Garotinho e do também ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB), que chegou a Bangu nesta quinta-feira, 17. Nem Garotinho nem Cabral poderão receber visitas hoje, porque para tal é preciso que familiares passem por um cadastramento. Segundo familiares de presos que estão no local, esse cadastro normalmente leva cerca de um mês para ficar pronto.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade