SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Mantega ajudou a liberar negócio da Previ com Odebrecht, segundo delator

Dois dos deputados envolvidos neste trecho da delação se defenderam das acusações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/04/2017 19:21

O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega teria ajudado a fechar um negócio entre a Previ, fundo de previdência dos funcionários do Banco do Brasil, e a empreiteira Odebrecht. As informações são da delação premiada de Marcelo Odebrecht, ex-presidente da construtora. Segundo Marcelo, Mantega “azeitou” a liberação do acordo. A Previ comprou parte do empreendimento imobiliário Parque da Cidade.

Marcelo Odebrecht foi procurado por um executivo responsável pela Odebrecht Realizações Imobiliárias e levou o caso a Mantega. O empreiteiro teria ainda depositado um crédito de R$ 27 milhões para o PT em conta corrente destinada aos repasses de interesse ao governo.
 

O delator afirma que é difícil dizer se o negócio teria sido feito sem a atuação de Guido Mantega. “Com certeza ajudou. Atrapalhar não atrapalhou”, ressalta.

Do dinheiro garantido ao PT, R$ 4 milhões ou R$ 5 milhões foram destinados ao deputado Carlos Zarattini (PT-SP) e ao ex-deputado Cândido Vaccarezza (PTdoB-SP), que, segundo Odebrecht, teriam relação com Mantega.

Zarattini defende, em nota divulgada nesta terça-feira (11/4), que “delação não é prova”. O líder do PT na Câmara afirmou que todos os envolvidos do partido vão provar inocência e lamentou “a divulgação de inquéritos em que sequer os citados tivessem conhecimento do que são acusados”.

A defesa do ex-deputado Vaccarezza também divulgou nota: "Cândido Vaccarezza não é réu na operação Lava-Jato e eventuais declarações de executivos da Odebrecht serão refutadas na íntegra”.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.