SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Aécio reafirma que não foi apresentada 'nenhuma prova' contra ele

"Mesmo se somados os valores constantes nas falsas acusações, o montante apontado na matéria não existe"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/04/2017 00:39

Em nota divulgada na noite desta quinta-feira, 13, a assessoria do presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (PSDB), sustentou que não foi apresentada nas delações da Odebrecht "nenhuma prova" que o vincule a "nenhum ato ilícito". "Mesmo se somados os valores constantes nas falsas acusações, o montante apontado na matéria não existe", alegou.

Delatores da Odebrecht afirmaram ter acertado com Aécio pagamentos de propina e de caixa dois que, se somados separadamente, alcançam R$ 89,5 milhões entre 2008 e 2015. Os valores estão relacionados nos cinco inquéritos abertos contra o tucano, mas a própria Procuradoria-Geral da República (PGR), embora sustente haver indícios suficientes de que o tucano se envolveu em corrupção, fraude a licitações e desvio de recursos públicos, ainda não tem clareza sobre a cifra total que teria sido paga a ele e a seus aliados.

Conforme reportagem publicada pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, Aécio foi citado por ao menos cinco executivos como o autor de diversos pedidos de propina e caixa dois à empreiteira, a serem supostamente destinados a ele próprio e a políticos que apoiava.

Na nota, a assessoria de Aécio alega ser "falsa a afirmativa de que delatores teriam acertado pagamento de propina ao senador". "Não existe uma única afirmação nesse sentido", acrescentou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Aloisio
Aloisio - 14 de Abril às 14:52
O mineirinho está assustado. Se não tiver ajuda,para arquivar seus processos, como já teve, ele vai ver o que é bom pra tosse.