Vice-líder do governo na Câmara defende linha dura com aliados infiéis

Darcísio Perondi disse que "ministros terão de entregar os cargos" caso o partido não vote conforme orientação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/04/2017 16:49 / atualizado em 19/04/2017 16:54

O vice-líder do governo na Câmara dos Deputados Darcísio Perondi (PMDB-RS) defendeu que haja uma linha dura com os aliados infiéis. "Sobre partidos que não votarem conosco, os ministros vão ter que entregar os cargos", afirmou ele, um dia após a derrota do governo na tentativa de aprovar urgência para a votação da reforma trabalhista.


Leia mais notícias em Política

Perondi tentou minimizar o fato declarando que se o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) tivesse segurado por mais uma hora a votação, o governo teria conseguido os 257 votos necessários para aprovar o requerimento.
 
Perondi está otimista, contudo, para a votação da reforma da Previdência, que foi adiada na comissão para o início de maio, e só chegará ao plenário da Casa no mês que vem. "Os ministros estão trabalhando, o presidente Temer está trabalhando e o relator Arthur Maia (PPS-BA) ouviu todas as bancadas para atender todos os pleitos possível", completou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.