Maia diz que seguiu regimento em votação da urgência da reforma Trabalhista

Na sessão, Maia foi comparado ao ex-presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por parlamentares de oposição, que exibiram cartazes com dizeres: "método Cunha de novo, não"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/04/2017 10:44

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
 
 
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) minimizou na noite desta quinta-feira (20/4) as críticas da oposição ao colocar novamente para apreciação a urgência do Projeto de Lei da reforma trabalhista 24 horas depois de uma derrota em plenário.
 
 
"O regimento da Casa permite que o plenário aprecie novamente a urgência de um Projeto de Lei. Segui o regimento", disse Maia ao participar do 16º Fórum Empresarial, organizado pelo Grupo Lide, em Foz do Iguaçu.

Na sessão, Maia foi comparado ao ex-presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por parlamentares de oposição, que exibiram cartazes com dizeres: "método Cunha de novo, não". "Não vamos aceitar padrão Eduardo Cunha aqui", disse na ocasião o líder do PSOL, deputado Eduardo Braga (RJ).

Nesta quinta, Maia chegou a se irritar com um jornalista que fez uma pergunta sobre os cartazes. "É do jogo da política", disse ele sobre a atitude dos parlamentares.

Embora aliados afirmem que manterão a votação do texto na comissão especial na próxima semana, o requerimento aprovado abre brecha para que a votação seja feita diretamente no plenário.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.