Áudio comprova livre acesso de Joesley Batista ao Palácio do Jaburu

Dono do grupo JBS diz, nas gravações, que "gostou" da forma como teve acesso ao Palácio do Jaburu: "Fui chegando, eles viram a placa do carro, abriram e entrei. E pronto"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/05/2017 21:38 / atualizado em 18/05/2017 21:46

A gravação divulgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (19/5) mostra que o dono do grupo JBS, Joesley Batista, e o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB/PR) tinham livre acesso ao Palácio do Jaburu para conversar com o presidente Michel Temer (PMDB). 
 
 
Antes de se despedir do presidente, Joesley diz "eu gostei desse jeito aqui", se referindo à forma como se encontraram. Ele declarou que “funcionou bem”. Temer concordou posteriormente: “melhor, então”. 

O presidente disse: “você vem, se identifica, ou o Rodrigo [Rocha Loures] se identifica”, porém Joesley afirma que não precisou dar o nome para entrar no Palácio. “Fui chegando, eles viram a placa do carro, abriram e entrei. E pronto”.

A Polícia Federal (PF) cumpriu um madado de busca e apreensão em imóvel do deputado peemedebista. Na delação da JBS, Rodrigo Rocha Loures teria sido indicado por Temer para receber propina.

Confira como foi a conversa:


J: “Eu gostei desse jeito aqui” 
M: “Desse jeito aqui (inaudível)”
J: “Eu vim dirigindo. Não vim com motorista. Eu não (inaudível)”
M: (Inaudível) “Você vem se identifica, ou o Rodrigo se identifica”
J: “Eu tinha acordado de vir com ele”
M: “Ah, você veio sozinho?”
J: “Eu vim sozinho. Mas eu liguei para ele eram dez e meia, então por isso eu atrasei uns cinco minutinhos. Aí deu nove e cinquenta eu mandei uma mensagem para ele. Aí ele não respondeu. Deu dez e cinco eu liguei e (inaudível): ‘po, doutor, estou num compromisso aqui. Vai lá’. Eu passei a placa do carro. Fui chegando e eles abriram, nem dei meu nome. 
M: (inaudível)
J: “Fui chegando, eles viram a placa do carro, abriram e entrei. E pronto” 
M: “Melhor, então”
J: “Funcionou super bem. Você vai se mudar para o outro [Palácio da Alvorada]?”
M: “Eu mudei para o outro e não aguentei. Fiquei uma semana lá (Inaudível)”
J: “Hm”
 
 
 
* Estagiário sob supervisão de Anderson Costolli 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.