Joesley concordou em pagar deputados para votar contra impeachment de Dilma

Em delação, executivo da JBS disse que foi procurado por João Bacelar (PR-BA) com lista de 30 parlamentares dispostos a votar 'não' em troca de R$ 5 milhões cada um

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/05/2017 20:52 / atualizado em 19/05/2017 22:51

O empresário Joesley Batista, executivo da JBS, afirmou em delação premiada que foi procurado pelo deputado João Bacelar (PR-BA) com uma lista de pelo menos 30 deputados federais que estariam dispostos a votar contra o impeachment de Dilma Rousseff (PT) em troca de R$ 5 milhões. 
 

De acordo com o site O Antagonista, Joesley concordou em “comprar” cinco parlamentares ao custo de R$ 3 milhões cada um. Do total de R$ 15 milhões, ele disse que já pagou R$ 3,5 milhões, sendo os últimos R$ 500 mil pagos na sua casa, em março de 2017. 

João Bacelar teria procurado Joesley Batista a pedido de Guido Mantega, então ministro da Fazenda do governo Dilma, no sábado anterior à votação do impeachment. 


O impeachment da presidente foi aprovado na Câmara dos Deputados em 17 de abril do ano passado, com o voto de 367 deputados favoráveis, 137 contrários e 7 abstenções. 


Deputados de 22 partidos votaram a favor do afastamento da petista. Apenas Psol, PT, e PCdoB não deram votos à favor do processo.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.