Oposição na Câmara reitera promessa de obstruir votações

Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcou sessão extraordinária deliberativa no plenário para as 13h55 com a intenção de abrir as discussões do projeto que regulariza benefícios fiscais concedidos por Estados a empresas sem autorização do Confaz

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/05/2017 12:36

No dia em que o governo tentará mostrar no plenário da Câmara que ainda tem força política para aprovar projetos de seu interesse, líderes da oposição se reuniram nesta manhã (23/5), para reiterar a estratégia de obstruir os trabalhos. 

"Não há normalidade no País para nós deixarmos votar matérias neste momento aqui na Casa, a não ser que o presidente tome providências para instalar a comissão do impeachment. Estamos seguros de que o melhor caminho é a obstrução política para mostrar para o País que esse governo acabou e não reúne mais condições de votar nem as reformas e muito menos as matérias de interesse do País", justificou nesta manhã o líder da minoria, José Guimarães (PT-CE). 

O petista sinalizou que o grupo pode eventualmente discutir a votação da Medida Provisória (MP) que autorizou o saque do dinheiro de contas inativas do FGTS. A medida perde a validade na próxima semana e, caso não seja votada pela Câmara e Senado antes disso, trabalhadores nascidos de setembro a dezembro perderão o direito de sacar os recursos. "Temos matérias que diz respeito ao povo e estamos apreciando. No decorrer da discussão, vamos discutindo", respondeu.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcou sessão extraordinária deliberativa no plenário para as 13h55 com a intenção de abrir as discussões do projeto que regulariza benefícios fiscais concedidos por Estados a empresas sem autorização do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz).

Se a ordem do dia começar realmente neste horário, Maia inviabilizará as reuniões das comissões agendadas para esta tarde, como a sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que tem em sua pauta a discussão da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) das Eleições Diretas.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.