MPF vai recorrer da absolvição de esposa de Eduardo Cunha

%u201CNós vamos recorrer, nós discordamos [da decisão]. Cremos que isso decorre muito mais do coração generoso do juiz Sergio Moro na interpretação de um fato envolvendo a esposa de uma pessoa que sabidamente é ligado à corrupção%u201D, afirmou o procurador do Ministério Público Federal, Carlos Fernando dos Santos Lima

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/05/2017 17:46

A força-tarefa da Operação Lava Jato vai recorrer da decisão do juiz federal Sergio Moro, que absolveu a jornalista Cláudia Cunha no processo em que ela era ré junto com o marido, o ex-deputado Eduardo Cunha. A afirmação foi feita hoje (26) pelo procurador do Ministério Público Federal (MPF) Carlos Fernando dos Santos Lima, durante entrevista coletiva para detalhar os pormenores da Operação Porto Seco, deflagrada na manhã desta sexta-feira.
 
 
“Nós vamos recorrer, nós discordamos [da decisão]. Cremos que isso decorre muito mais do coração generoso do juiz Sergio Moro na interpretação de um fato envolvendo a esposa de uma pessoa que sabidamente é ligado à corrupção”, disse o procurador. “Esperamos que no tribunal haja a reversão dessa absolvição”.

Segundo Lima, a profissão e o nível cultural de Cláudia Cunha davam a ela condições para saber que os ganhos de Eduardo Cunha eram incompatíveis com o salário de deputado federal que ele recebia. “Ela deveria saber, tinha indicativos suficientes para saber, tinha conhecimento cultural suficiente para saber a origem desses recursos. Portanto, ao gastá-los, ela cometeu o crime de lavagem [de dinheiro]”, argumentou o procurador.

A força-tarefa também destacou que a Operação Porto Seco, deflagrada hoje para investigar a compra de um campo seco de petróleo em Benin, na África, está ligada ao casal. “Parte dos valores, US$ 10 milhões, correspondente a mais ou menos um terço do valor da compra, foi repassada para operadores, chegando indiretamente até as mãos de Cláudia Cruz”, explicou Lima. Segundo ele, parte destes valores abasteceu a conta usada pela jornalista para a compra de artigos de luxo.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
William
William - 01 de Junho às 12:49
Tem que recorrer mesmo. É uma absolvição absurda pois era impossível ela não saber de onde vinha a dinheirama toda. Além disso, preocupa mais ainda pois vem aí o julgamento do bandidão de 9 dedos que nega que seja dono do triplex. O Moro não podia ter amarelado nessa!
 
david
david - 26 de Maio às 20:16
Engraçado, o Juiz Sergio Moro vai condenar o ex presidente Lula pelo triplex que não é dele, agora, essa senhora gasta dinheiro de propina do ex marido Eduardo Cunha em Nova York, almoça, jantar nos melhores restaurantes com dinheiro nosso e não é condenada? Qual a credibilidade que essa lava jato tem? Pra mim,nenhuma. Esse juiz Moro não me engana!