MP que garante foro a Moreira Franco pode cair na sexta sem ser apreciada

Caso Câmara e Senado não apreciem e aprovem a medida provisória, a Secretaria-Geral da Presidência deixa de ser equiparada a ministério, e Moreira Franco perde o foro privilegiado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/05/2017 16:05 / atualizado em 29/05/2017 16:39

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press
 
Pelo menos oito medidas provisórias deverão expirar nesta semana no Congresso. Entre elas, está a MP 768 de 2017, que elevou ao status de ministério a Secretaria-Geral da Presidência e perde a validade em 2 de junho, sexta-feira.
  
Caso não dê tempo para que a medida seja apreciada, a Secretaria deixará de ser equiparada a ministério, e, consequentemente, Moreira Franco, à frente do órgão e um dos principais assessores do Presidente Temer, perderá o foro privilegiado. 
 
 
Há a possibilidade de o presidente Michel Temer editar uma nova medida, mas será necessário um exercício jurídico, já que o novo texto não poderia versar sobre o mesmo assunto da medida anterior. 
 
O trâmite aguarda aprovação da Câmara e depois do Senado. Para garantir a aprovação na primeira casa, está marcada, para a quarta-feira (31) uma sessão ordinária do Plenário da Câmara para aprova esta e mais duas medidas que vencem em 1º e 2 de junho.

Os deputados apreciarão também a MP 765/2017, que reajusta a remuneração de diversas carreiras do Poder Executivo, entre as quais as da Receita Federal; e a MP 766/17, que institui o Programa de Regularização Tributária (PRT), para empresas e pessoas físicas.
 
O PRT permite o abate de dívidas com a Receita Federal ou com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional de créditos tributários (recursos a receber) e prejuízos fiscais de anos anteriores. 


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.