Condenado no Mensalão, Henrique Pizzolato vai para o semiaberto

Ex-diretor do Banco do Brasil está preso desde fevereiro de 2014; ele foi condenado a 12 anos e sete meses de prisão pelos crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/05/2017 20:08 / atualizado em 31/05/2017 20:17

Reprodução/Internet

 
Condenado na ação penal do Mensalão a 12 anos e sete meses de prisão, o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato ganhou o direito de cumprir sua pena em regime semiaberto. Pizzolato é acusado de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro.
 

A decisão foi tomada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso. De acordo com ele, o ex-diretor, que está preso desde fevereiro de 2014, já teria direito à progressão desde junho do ano passado. O ministro também ressaltou que Pizzolato não cometeu nenhuma falta disciplinar de natureza grave, tampouco apresentou mau comportamento durante o perído na cadeia.

A progressão para o semiaberto já havia sido solicitada pela defesa em outras ocasiões. O pedido, no entanto, foi negado pela Vara de Execuções Penais do Distrito Federal e, posteriormente, pelo Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT).

Além da prisão, Pizzolato também foi condenado a pagar 530 dias-multa. A pedido da defesa, Barroso concordou com o parcelamento dessa dívida, que hoje já está em mais de R$ 2 milhões. O ex-diretor vai poder quitar o valor em parcelas de R$ 2.175.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.