Advogado de Temer diz que análise das preliminares não prejudica defesa

Flávio Caetano, defensor da ex-presidente Dilma Rousseff, avaliou que o ritmo de julgamento está aquém do esperado inicialmente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/06/2017 13:30

O advogado de defesa do presidente Michel Temer, Gustavo Guedes, afirmou a pouco que a decisão do ministro relator e acatada pelo plenário, de avaliar todas as preliminares juntas no conjunto do mérito do voto, não prejudica a estratégia da defesa. Ele segue confiante, inclusive, na tentativa de impedir que os depoimentos dados pelos ex-executivos da Odebrecht sejam considerados validos no processo de cassação da chapa Dilma-Temer.

 

Alguns ministros já se posicionaram favoráveis a manutenção desses depoimentos. “Mas a votação ainda não terminou e da mesma forma achamos que não devem ser incluídos no processo os depoimentos da JBS e uma possível delação premiada do ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, por que eles não fazem parte do processo original. Esse inclusive também foi o entendimento da relatora anterior ministro Maria Thereza”, declarou Guedes.

 

O advogado também avaliou como salutar a decisão dos ministros do tribunal de marcar sessões extras para amanhã a tarde, para sexta-feira de 9h às 18h e, se necessário, no sábado, para que o julgamento tenha andamento. “Isso demonstra o reconhecimento dos magistrados sobre a importância desse julgamento”, declarou Guedes.

 

Flávio Caetano, defensor da ex-presidente Dilma Rousseff, avaliou que o ritmo de julgamento está aquém do esperado inicialmente. Conforme ele, havia uma expectativa de que pelo menos o relator Herman Benjamin  pudesse proferir seu voto durante a sessão. “Apesar disso, tudo o que ocorreu até agora com a rejeição das preliminares não nos surpreendeu, vamos aguardar os trabalhos de amanhã”, destacou. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.