Meirelles é interrompido em Paris por grito de 'golpista' de manifestante

Ela não parou também por alguns minutos até que foi retirada do local por seguranças do evento: "Vai ser derrubado seu governo no Brasil", continuou, em protesto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/06/2017 11:08

Alguns minutos após o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, iniciar sua participação em um seminário sobre América Latina, em Paris, enfatizando o trabalho das reformas no País, ele foi interrompido por gritos, em português, de uma manifestante da plateia: "Golpista! Golpista! Corrupto! Você tem dinheiro na Suíça!."

Ela não parou também por alguns minutos até que foi retirada do local por seguranças do evento: "Vai ser derrubado seu governo no Brasil", continuou, em protesto.

Enquanto a manifestante ainda gritava no meio da plateia, Meirelles insistia em continuar seu discurso sobre as reformas, no palco do evento. Ao ser retirada do local, a manifestante se apresentou ao Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado) como brasileira e disse que seu nome era Josette de Lima. 

Ao sair do evento, mas ainda dentro do prédio do Ministério de Economia e Finanças, ela disse aos seguranças, ainda em português, que era militante do PT.

Depois, correspondentes brasileiros tentaram abordar a manifestante ainda nas instalações do prédio, mas os seguranças não permitiram e a retiraram do local. Meirelles fez sua apresentação em "portunhol", atendendo a pedidos da organização, já que a maioria dos participantes é de países de língua espanhola. Mesmo antes do episódio, o ministro já consultava periodicamente e escrevia em seu telefone celular.

Ele participou do Fórum Econômico Internacional América Latina e Caribe 2017: "Repensar a Globalização para o Desenvolvimento Inclusivo e a Juventude", realizado no Ministério de Economia e Finanças da França, em Paris. Especificamente, Meirelles falou no painel: "América Latina e Caribe, enfrentando os novos desafios da globalização".
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.