Rodrigo Rocha Loures decide ficar em silêncio durante depoimento à PF

Orientado pela defesa, ex-assessor do presidente Michel Temer se negou a responder os questionamos dos delgados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/06/2017 11:39

Cadu Gomes/CB/D.A Press


O ex-assessor especial do presidente Michel Temer, Rodrigo Rocha Loures, decidiu ficar em silêncio durante depoimento prestado à Polícia Federal, na manhã desta sexta-feira (09), em Brasília. Logo cedo, Loures foi levado para o edifício-sede da PF e ao ser interrogado pelo delegado Thiago Machado Delabary, da Diretoria de Investigação e  Combate ao Crime  Organizado, decidiu  não responder a nenhuma das perguntas.

O ministro Fachin, relator da Lava Jato no supremo, concedeu na quarta-feira (07) prazo de 48 horas para que Rocha Loures prestasse depoimento. Segundo informações divulgadas pela Polícia Federal, a decisão de Fachin atendeu um pedido da defesa, para que os advogados tivessem mais tempo para avaliar os autos.

Quem solicitou a prisão de Loures foi o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que em seu pedido sustentou que a reclusão de Loures era “imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal”. Loures foi flagrado carregando uma mala com R$ 500 mil.

Em acordos de delação premiada feitos no âmbito da Operação Lava Jato, executivos da JBS afirmam que o montante que estava na mala seria dinheiro de propina. A ordem para mantê-lo%u200B preso também se baseia nas acusações de tentativa de obstrução de Justiça e de associação criminosa. O presidente Temer é investigado no mesmo processo.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.