Em liberdade, José Dirceu participa de festa junina de escola no Sudoeste

A reação das pessoas presentes no evento escolar foi o oposto do protesto organizado por populares em 4 de maio: ele transitou tranquilamente e não foi hostilizado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/06/2017 15:35 / atualizado em 10/06/2017 15:58

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu está aproveitando a liberdade concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Neste sábado (10/6), o petista foi à festa junina do colégio da filha mais nova, localizado no Sudoeste. A presença dele chamou a atenção de pais e de funcionários da unidade de educação. No entanto, ele transitou tranquilamente e não foi hostilizado. A presença do ex-político, condenado no julgamento do mensalão e na Lava-Jato por crimes de formação de quadrilha, corrupção lavagem de dinheiro, foi, segundo testemunhas, uma surpresa.
 
 
A reação das pessoas presentes no evento escolar foi o oposto do protesto organizado por populares em 4 de maio. Com gritos de “ladrão”, “bandido”, e palavras de ordem de que o ex-ministro deveria estar na prisão, Dirceu viveu um tormento ao lado da filha. O episódio o motivou a querer mudar de residência, uma vez que as manifestações deixaram a criança com medo. Pessoas próximas ao petista afirmam que a menina ficou traumatizada com o ocorrido.
 
O ex-ministro estava preso preventivamente há 1 ano e 8 meses por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em âmbito da Lava-Jato, mas teve a liberdade concedida pela Suprema Corte, em 2 de maio. Por 3 votos a 2, a maioria dos ministros entendeu que, pelo fato de Dirceu não ter tido o julgamento final, a prisão temporária deveria ser substituída por medidas cautelares, como monitoramento por tornozeleira eletrônica.
 
Os ministros Dias Toffolini, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes votaram pela liberdade de Dirceu. Já o relator da Lav-Jato, Edson Fachin, e o decano Celso de Mello, votaram pela manutenção da prisão do ex-ministro, por entenderem que ele representa perigo à ordem pública. O petista foi condenado a 23 anos de prisão pelo juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Sérgio Moro. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
alberico
alberico - 12 de Junho às 18:24
O diceu vai ter que devolver o dinheiro que nos roubou e pagar na cadeia
 
Adilson
Adilson - 11 de Junho às 20:27
Nada que uma doença grave não resolva!
 
alfredo
alfredo - 11 de Junho às 07:12
Uma vergonha essa justiça. .o ladrão deveria estar na Papuda e não usufruindo o dinheiro roubado