Fachin nega pedido para adiar depoimento de Cunha à Polícia Federal

Os advogados de Cunha tentaram adiar o depoimento alegando não terem tido acesso à íntegra do inquérito aberto com base na delação dos empresários do grupo J&F

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/06/2017 13:49 / atualizado em 14/06/2017 13:56

EVARISTO SA
O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido para adiar o depoimento do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no âmbito do inquérito que tem como alvo o presidente da República, Michel Temer. A decisão foi proferida depois do início da oitiva, realizada na sede da Polícia Federal em Curitiba nesta quarta-feira (14/6).

Os advogados de Cunha tentaram adiar o depoimento alegando não terem tido acesso à íntegra do inquérito aberto com base na delação dos empresários do grupo J&F. 

Até o horário marcado para o início do depoimento, 11 horas desta quarta-feira, Fachin não havia se manifestado sobre o pedido.

Cunha chegou à sede da Polícia Federal em Curitiba por volta das 10 horas vindo do Complexo Médico Penal de Pinhais na região metropolitana da capital paranaense, onde está preso desde outubro.

Seus advogados chegaram meia hora depois. As perguntas a Cunha foram elaboradas pela PF em Brasília, onde corre o inquérito contra Temer.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.